Demi Lovato:"Houve uma petição na escola para que eu me matasse"

A cantora norte-americana revelou que foi o facto de ter sofrido 'bullying' na escola que a obrigou a ter aulas em casa

Demi Lovato, 24 anos, abordou recentemente os problemas de dependência por que passou e que a obrigaram a ficar internada numa clínica. Agora, voltou a falar sobre a época em que, estudante, sofreu de bullying. "Houve uma petição na escola para que eu me matasse", disse a cantora norte-americana, explicando que isso a obrigou a abandonar uma instituição de ensino e a ter aulas particulares em casa.

"Isto aconteceu antes de as pessoas começarem a falar sobre os problemas nas escolas da sociedade atual, sobre os efeitos que provocam em quem sofre, sobre o bullying virtual". Muitas pessoas assinaram [a petição]. Eram coisas muito maldosas, que fazem o teu estômago andar às voltas. Também havia uma 'parede do ódio à Demi', que ficava numa casa de banho, com várias coisas nojentas escritas. Eu lidei com isso e acabou por me tornar uma pessoa mais forte", revela, em entrevista à jornalista norte-americana Tracy Smith. "Ainda demoro a confiar nas pessoas, especialmente nas mulheres. Fico sempre alerta, porque sei do que elas são capazes".

Esta não é a primeira vez que Lovato conta publicamente os problemas que teve na adolescência e aos quais atribui os distúrbios alimentares por que passou. O objetivo é ajudar. "Acho terrível as crianças terem que passar por isso. Estou bastante envolvida no trabalho anti-bullying. Dou conselhos aos meus fãs, falo com eles... Vou a escolas e faço palestras. A minha participação é bem direta".

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG