Carlsberg Euro Lounge. Russos e eslovacos iniciaram a segunda jornada do Euro 2016

Após todas as seleções já terem disputado o primeiro jogo na competição, coube à Rússia e à Eslováquia abrir a segunda jornada. Adeptos voltaram a marcar presença no Terreiro do Paço

Choveu ao início da tarde no Carlsberg Euro Lounge mas nem as más condições climatéricas impediram Sergey Petrovski de regressar ao palco onde assistiu ao primeiro jogo da sua seleção. "Este é um ótimo sítio para ver os jogos, por isso sempre que puder vou cá voltar", explicou o jovem que vive na Alemanha, em Berlim, mas está a estudar em Portugal há seis meses. "Os meus pais emigraram para lá. Não sinto muitas saudades da Rússia porque acabo por lá ir todos os anos visitar a família", sublinhou.

Sobre a possível exclusão da Rússia do Euro 2016, se voltarem a acontecer episódios de violência que tenham os adeptos russos como protagonistas, Sergey acredita que tal não venha a acontecer "porque senão tinham que expulsar muitas outras seleções que também têm situações dessas".

O segundo jogo da tarde opôs a Suíça à Roménia, numa partida que terminou empatada mas que ainda assim serve melhor os interesses suíços depois de terem ganho o primeiro jogo à Albânia. No meio da bancada, estava uma adepta portuguesa mas que, por viver há 40 anos na Suíça, perto de Zurique, não esconde que também torce pela equipa orientada pelo selecionador Vladimir Petkovic. "Nasci em Portugal e fui para lá por amor quando tinha 20 anos. O meu marido era suíço [morreu há uns anos], conheci-o cá, e depois resolvi ir embora com ele. Tive dois filhos e hoje em dia já não me imagino a regressar a Portugal", explicou Helena, de 60 anos, que trabalha como tradutora das comunidades imigrantes portuguesa na Suíça. Embora gostasse de ver uma final entre a seleção do país que nasceu e a equipa no qual reside atualmente, confessa que não sabe por quem iria torcer mais.

A esta hora a chuva volta a ameaçar as pessoas presentes no recinto do Carlsberg Euro Lounge. Contrariamente ao que aconteceu na estreia, e pela primeira vez, estão adeptos da Albânia no Terreiro do Paço. "Vivo na cidade de Escodra, na Albânia, mas estou cá a fazer Erasmus. Não há muitos albaneses em Portugal mas estou a adorar estar aqui. Hoje vai ser complicado mas como a França não fez um grande jogo na primeira jornada pode ser que seja possível fazermos uma surpresa", afirmou o jovem Julian.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG