Brincos portugueses usados por Victoria Beckham expostos em Lisboa

Um par de brincos portugueses do século XVIII tornou-se num dos destaques de uma exposição que vai visitar Lisboa esta semana depois de terem sido usados e exibidos por Victoria Beckham em Nova Iorque.

O facto de a estilista, antiga cantora do grupo Spice Girls e esposa do ex-futebolista David Beckham, ter escolhido as peças propriedade do antiquário britânico S. J. Phillips é uma prova de que estas joias não interessam apenas a colecionadores.

"Ela ia a Nova Iorque para uma cerimónia de beneficência e pediu para usar algo emprestado. Ela usou uns brincos portugueses que são absolutamente fantásticos", revelou à agência Lusa Francis Norton, diretor da casa de antiguidades fundada pelo seu bisavô.

A fotografia partilhada na rede social Instagram já recebeu mais de 200 mil gostos e comentários à joia, que faz parte de uma coleção angariada ao longo de várias décadas pelos antiquários fundados em 1869.

"Sempre fomos especialistas em joalharia do século XVIII e XIX. A joalharia portuguesa sempre foi uma favorita em parte por causa das cores, da qualidade e fazemos questão de comprar qualquer peça decente que apareça no mercado", explicou Norton.

Os brincos e mais cerca de 70 joias vão estar em exposição entre quinta-feira e domingo pela primeira vez em Lisboa durante quatro dias, na Casa-Museu Medeiros e Almeida.

A exposição é uma parceria com a leiloeira Sotheby's, por sugestão do diretor do departamento de Mobiliário e representante para Portugal, João Magalhães, que considerou esta uma oportunidade para mostrar uma coleção que está fora de Portugal.

"A história da arte portuguesa tem um foco muito grande nas artes decorativas, seja nos azulejos ou mobiliário, e a joalharia é um dos pontos altos no século XVIII, principalmente pela relação privilegiada com o Brasil, de onde os materiais vinham, fossem ouro, prata ou pedras preciosas", vincou.

Símbolo de riqueza e estatuto social, este tipo de joias eram sobretudo usadas pela nobreza e membros da família real portuguesa.

As peças em ouro e prata eram adornadas com diamantes, safiras e esmeraldas e pedras semipreciosas coloridas, como topázios, ametistas e crisoberilos.

"Nós associamos as joias a senhoras, mas os homens no século XVIII, e em Portugal especialmente gostavam de usar os seus diamantes e as suas pedras preciosas e semipreciosas", disse.

Exemplos são duas condecorações, uma da Ordem de Avis com crisoberilos, e outra da Ordem de Cristo, bem como um conjunto de botões de brilhantes para colocar no casaco e mangas.

Outras peças importantes são laças inspiradas na joalharia francesa e usadas por senhoras como adereço de corpete.

Um livro da especialista em joalharia Diana Scarisbrick será lançado para acompanhar a exposição.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG