Bono Vox recebeu o "ridículo" prémio de Mulher do Ano

O cantor Bono Vox foi o primeiro homem a ser agraciado com o prémio Mulheres do Ano, atribuído pela revista "Glamour". O vocalista dos U2 admitiu o quão "ridículo" foi receber o troféu e apelou à igualdade de género

Pela primeira vez em 27 anos, um homem, neste caso Bono Vox, foi distinguido pela revista britânica Glamour com um dos prémios Mulheres do Ano. O artista irlandês, de 56 anos, marcou presença na cerimónia, que se realizou na NeueHouse, na Califórnia (EUA) e recorreu ao humor para agradecer a distinção. "Eu sei o quão ridículo é eu estar aqui a aceitar este prémio. Mas mesmo que não soubesse o quão ridículo seria, a Internet fez o favor de me relembrar", começou por dizer.

Bono Vox foi ao evento acompanhado pela mulher, Ali Hewson, de 55 anos, e pelas duas filhas, Jordan, 27 e Eve, 25. "Como a minha filha Jordan diz, não existe nenhum sítio no mundo onde as mulheres têm as mesmas oportunidades que os homens", referiu o cantor.

O verdadeiro motivo que fez com que o vocalista dos U2 marcasse presença na cerimónia foi o facto de a nomeação ter "causado um grande entusiasmo" na sua casa, disse Bono. O músico apelou ainda à igualdade de género, dizendo que "homens e mulheres devem caminhar "juntos", sob pena de o mundo continuar a ser "misógino e violento".

Nesse sentido, fez um apelo ao presidente eleito nos EUA, Donald Trump, que irá suceder a Barack Obama na Casa Branca já em janeiro. "Ao presidente eleito digo, olhe para as mulheres. Faça da igualdade [de género] uma prioridade. É a única forma de conseguirmos avançar".

De recordar que o líder dos U2 recebeu o prémio pelo seu trabalho humanitário, onde se inclui a campanha Povert is Sexist (A pobreza é sexista, em tradução livre), que pretende diminuir a pobreza em locais onde as mulheres são mais discriminadas.

Exclusivos