Agora é o pai de Paul Walker que vai processar a Porsche

Dois anos depois da morte do ator, o braço de ferro da família com a empresa continua

Depois da filha, desta vez é o pai de Paul Walker que vai iniciar uma batalha legal contra a Porsche. O progenitor da estrela de Hollywood, que morreu aos 40 anos vítima de um acidente de viação, acusa a empresa de "homicídio" e "negligência".

Paul William Walker III alega que o carro onde o ator norte-americano seguia na altura do acidente, um Porsche Carrera GT, apresentava falhas no sistema de segurança e que a vida do filho poderia ter sido poupada. Walker III garante que a Porsche sabia que o modelo em causa tinha um historial de instabilidade.

O processo surge uma semana depois de a empresa do grupo Volkswagen ter respondido à acusação da filha da estrela de Hollywood, Meadow Walker, que também processou a Porsche, em setembro, por homicídio por negligência. A empresa reagiu, através de um comunicado, alegando que não tem qualquer culpa na morte do ator e que Paul Walker deveria ter consciência dos "riscos e perigos" envolvidos de viajar num Carrera GT.

O advogado de Meadow, Jeff Milam, não aceita os argumentos apresentados pela empresa. "Se a Porsche tivesse desenhado o carro para incluir sistemas de segurança, o Paul teria sobrevivido, estaria a filmar o Velocidade Furiosa 8 e Meadow Walker teria o pai que adorava".

Na altura do acidente, que aconteceu em novembro de 2013 em Santa Clarita, Califórnia, o carro estava a ser conduzido por um amigo do ator norte-americano, Roger Rodas, que também acabou por perder a vida.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG