Acusada de bruxaria por freiras, justiça deu razão a Katy Perry

Há dois anos, cinco freiras acusaram Katy Perry de bruxaria e quiseram impedir que a cantora comprasse um convento. A justiça deu agora razão à estrela da pop.

Uma juíza do Tribunal Superior de Los Angeles deu agora razão a Katy Perry na batalha que a cantora trava há dois anos com um grupo de freiras, acusando-a de praticar bruxaria. O confronto surgiu com a intenção de Perry de comprar um convento em Los Angeles, construído há 90 anos, para o transformar na sua nova casa.

Nessa altura, o arcebispo que lá reside deu um parecer favorável à proposta financeira da cantora de 13,5 milhões de euros, mas as cinco freiras que também lá viviam opuseram-se ao negócio, acusando Perry de bruxaria.

Curiosamente, como explica o NME, elas estavam interessadas em fazer negócio com a empresária Dana Hollister, que também queria comprar o convento, mas para o transformar num hotel.

Agora, Stephanie Bowick, uma juíza californiana, admitiu que as freiras "não possuíam qualquer autoridade sobre a venda" da propriedade. Ficou ainda definido na sessão em tribunal que a oferta de Katy Perry para adquirir o convento, que pertence ao referido arcebispo, já só precisa de um aval por parte do Vaticano.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG