A "magia do amor" ou como um ex-senador de 90 anos se apaixonou por outro homem

Harris Wofford apaixonou-se por Matthew Charlton, 50 anos mais novo. Casam-se este sábado

"Quando tinha 70 anos, não imaginava que iria apaixonar-me novamente e voltar a casar. Mas os últimos 20 anos transformaram a minha vida numa história de dois grandes amores". A declaração é de Harris Wofford e inicia uma crónica que o próprio escreveu no The New York Times. Uma crónica em que o ex-senador democrata norte-americano da Pensilvânia (entre 1991 e 1995), de 90 anos, abre o coração para expor a sua paixão por outro homem, de 40, e na qual homenageia a mulher com quem foi casado durante quase cinco décadas - Clare Lindgren Wofford morreu em 1996, vítima de leucemia.

Harris Wofford esteve envolvido no movimento pelos direitos civis e na campanha presidencial de John F. Kennedy, na década de 1960, de quem era conselheiro. Mais recentemente, trabalhou com os presidentes Bill Clinton e Barack Obama. Pai de três filhos, assumiu para si mesmo, depois de ter ficado viúvo, "que era muito velho para procurar ou esperar outro romance". Este apareceu em 2001, quando estava na praia de Fort Lauderdale, na Florida. "Estava a nadar sozinho, a chamar a atenção de dois banhistas que estavam perto da linha de água. Eles aproximaram-se e disseram-me 'olá'. Foi assim que conheci o Matthew Charlton", recorda o democrata. "Percebi que ela era alguém que eu gostaria de conhecer melhor. Tínhamos décadas de diferença [de idade], com interesses profissionais diferentes, mas ainda assim houve química".

Apesar de Charlton ter conquistado Wofford - em parte pelo seu "espírito aventureiro de 25 anos" -, o ex-senador demorou algum tempo até conseguir contar aos filhos os seus sentimentos. "Ao longo do tempo, os meus filhos têm recebido o Matthew como um elemento da família e os pais do Matthew aceitaram-me calorosamente", acrescenta.

Na sua crónica, Harris Wofford frisa que não se "define com base no sexo da pessoa amada". "Fui casado durante meio século com uma mulher maravilhosa, e agora tenho a sorte de encontrar a felicidade pela segunda vez", justifica.

"Aos 90 anos, tenho sorte de viver numa época em que o Supremo Tribunal fortaleceu o que o presidente Obama chama de 'dignidade do casamento' ao reconhecer que o matrimónio não é baseado na natureza, escolhas ou sonhos de qualquer um. É baseado no amor". Wofford e Matthew casam-se este sábado.

Exclusivos