Mais 802 novos casos e três mortes nas últimas 24 horas. Portugal tem 285 casos ativos, 45% no norte

O boletim epidemiológico da Direção-Geral da Saúde indica que o número de internamentos continua a aumentar. Há agora 571 pessoas hospitalizadas (mais 25 do que na terça-feira), das quais 77 em unidades de cuidados intensivos.

Há mais 802 novos casos confirmados de covid-19 (um crescimento de 1,15%) e três mortes em Portugal nas últimas 24 horas, de acordo com os dados do boletim epidemiológico da Direção-Geral da Saúde (DGS), divulgado nesta quarta-feira (23 de setembro). No total, desde que a pandemia começou, o país registou 70 465 diagnósticos de covid-19 e 1928 óbitos.

Há mais 25 pessoas internadas, o que eleva para 571 o número total de doentes hospitalizados, estando 77 em unidades de cuidados intensivos (mais sete face a terça-feira).

Os dados da DGS indicam que há mais 316 pessoas recuperadas da doença, num total de 46 290.

À data de hoje, Portugal tem 22 247 casos ativos de covid-19, mais 483 do que na terça-feira.

Lisboa e Vale do Tejo tem mais de metade das novas infeções, com 437 novos casos reportados no boletim epidemiológico da autoridade da saúde, o que representa 54,5% do total nacional.

O Norte apresenta mais 240 diagnósticos de covid-19, o Centro regista mais 73 casos, o Alentejo mais 19 e no Algarve há mais 28 novas infeções. Há ainda mais dois casos na Madeira e três nos Açores.

285 surtos ativos em Portugal, 44 em lares

Existem 285 surtos ativos no país, dos quais 44 em lares, informou a ministra da Saúde, Marta Temido, durante a conferência de imprensa sobre a evolução da pandemia em Portugal. Há 129 surtos no Norte (o que representa 45% do total) , 27 no Centro, 90 na região de Lisboa e Vale do Tejo, 15 no Alentejo e 24 no Algarve.

Dos 44 surtos em lares de idosos, 17 são no Norte, dois no Centro, 23 em Lisboa e Vale do Tejo e dois no Alentejo.

O RT (índice de transmissibilidade) para o período de 14 a 18 de setembro situa-se nos 1.11, "uma ligeira redução", disse Marta Temido.

"Como todos já aprendemos ao longo desta pandemia, há também uma indicação de que este RT tem de ser lido ao mesmo tempo que se lê o número de novos casos, e o número de novos casos médio nos últimos dias é elevado, nestes dias em concreto, foi de 725 novos casos", fez saber a governante.

Afirmou ainda que a taxa da incidência da doença nos últimos sete dias é de 47 novos casos por cem mil habitantes e a incidência a 14 dias é de 86,8 novos casos por cem mil habitantes.

Os três óbitos reportados nas últimas 24 horas ocorreram em Lisboa e Vale do Tejo. As vítimas mortais tinham mais de 80 anos.

Perante estes dados, a taxa de letalidade global é de 2,7% e acima dos 70 anos é de 14%, afirmou a ministra da Saúde, Marta Temido.

O relatório da DGS indica também que há 40 765 pessoas em vigilância pelas autoridades de saúde, mais 347 face ao dia anterior.

Arruda dos Vinhos recomenda utilização de máscara na rua

Devido ao "aumento gradual de novos casos de contágio da doença nas últimas semanas" e ao início do ano letivo, a Câmara de Arruda dos Vinhos, no distrito de Lisboa, recomendou o uso de máscara na rua para prevenir o risco de contágio da covid-19.

Em comunicado, a autarquia recomendou "o uso de máscara na via pública e em espaços ao ar livre, em locais movimentados com base na aplicação do princípio da prevenção em saúde pública e como medida adicional de proteção individual e coletiva".

O município determinou ainda o encerramento de parques infantis, campos de jogos e pavilhões desportivos.

Entre as recomendações está também a não concentração de pessoas na via pública e a sua dispersão quando forem mais de dez, salvo se pertencerem ao mesmo agregado familiar.

Desde o início da pandemia, Arruda dos Vinhos contabiliza 88 casos de infeção, dos quais 46 estão ativos, registando-se ainda dois mortos, de acordo com o último boletim epidemiológico da Comunidade Intermunicipal do Oeste.

Mais de 31 milhões de infetados em todo o mundo

A pandemia do novo coronavírus já infetou mais de 31,6 milhões de pessoas em todo o mundo, incluindo mais de cinco milhões na Europa, segundo um balanço da agência AFP baseado em dados oficiais.

De acordo com o balanço da agência francesa de notícias, esta quarta-feira às 11.00 TMG (12.00 em Lisboa), a pandemia de covid-19 matou pelo menos 971 677 pessoas em todo o mundo desde que surgiu em dezembro de 2019 na China. Pelo menos 21 641 500 pessoas foram consideradas curadas.

Na Europa, há 5 000 .421 casos e 227 130 mortes, dos quais mais de metade são na Rússia (1 122 241 infeções, 19 799 mortes), Espanha (682 267 casos, 30 904 mortes), França (502 541 casos, 31. 416 óbitos) e Reino Unido (403 551 casos, 41 825 óbitos)

Com Lusa.

Outras Notícias

Outros conteúdos GMG