É o segundo dia com mais casos. São mais 3299 e 28 mortes por covid-19

Mas também há mais 2388 recuperados da doença. Há ainda a registar 1747 doentes hospitalizados, mais 75 do que na segunda-feira.

Em Portugal, nas últimas 24 horas, morreram mais 28 pessoas e foram confirmados mais 3299 casos de covid-19, segundo o boletim epidemiológico da Direção-Geral da Saúde (DGS) desta terça-feira (27 de outubro).

É o segundo dia com mais casos desde o início da pandemia, só ultrapassado pelo dia 24 de outubro, quando se registaram mais 3669 novas infeções e 21 mortes. No entanto, hoje registaram-se mais sete mortes do que no pior dia de registo de novos casos de covid-19 em Portugal.

Dos 27 óbitos, 12 ocorreram na região Norte, sete em Lisboa e Vale do Tejo, quatro no Centro e cinco no Alentejo.

No total, desde que a pandemia começou, registaram-se 124 432 infetados, 72 344 recuperados (mais 2388) e​ 2371 vítimas mortais no país.

Há ainda a registar 1747 doentes hospitalizados, mais 75 do que na segunda-feira, dos quais 253 em Unidades de Cuidados Intensivos (+13).

As autoridades de saúde têm agora sob vigilância 60.063 pessoas, mais 432 nas últimas 24 horas.

A DGS revela ainda que estão ativos 49.717 casos, mais 883.

Norte com maior registo de infeções

A região Norte continua a registar o maior número de novas infeções diárias, hoje com mais 2.076 casos, totalizando 54.008, e 1.042 mortos, dos quais 12 nas últimas 24 horas, desde o início da pandemia em março.

Na região de Lisboa e Vale do Tejo foram notificados mais 961 novos casos de infeção, contabilizando a região 54.373 casos e 947 mortes, das quais sete nas últimas 24 horas.

Na região Centro registaram-se 201 novos casos, contabilizando 10.319 desde o inicio da pandemia e 300 mortos.

No Alentejo foram registados 12 novos casos de infeção, totalizando 2.448 com um total de 42 mortos desde o início da pandemia.

A região do Algarve tem hoje notificados mais 30 casos de infeção, somando 2.526 casos e 25 mortos.

Na Região Autónoma dos Açores foram registados mais três casos nas últimas 24 horas, somando 348 infeções detetadas e 15 mortos desde o início da pandemia.

A Madeira registou 16 novos casos nas últimas 24 horas, contabilizando 410 infeções, sem registo de óbitos por covid-19 até hoje.

Os casos confirmados distribuem-se por todas as faixas etárias, situando-se entre os 20 e os 59 anos o registo de maior número de infeções.

No total, o novo coronavírus já afetou em Portugal pelo menos 56.632 homens e 67.800 mulheres, de acordo com os casos declarados.

Do total de vítimas mortais, 1.212 eram homens e 1.159 mulheres.

O maior número de óbitos continua a concentrar-se nas pessoas com mais de 80 anos.

Fim de semana de finados. As exceções à limitação de circulação

O anúncio foi feito no final do último Conselho de Ministros de 22 de outubro: entre as 00.00 horas de 30 de outubro e as 06.00 de 3 de novembro, englobando o fim de semana do feriado do Dia de Todos Santos (1), seria proibida a circulação entre concelhos.

Na segunda-feira, a resolução publicada em Diário da República esclarece as restrições impostas, bem como as muitas exceções previstas. O que vai então poder servir de justificação para circular entre diferentes concelhos? Várias coisas.

Desde ir a um espetáculo cultural, mediante apresentação do bilhete, até sair do território nacional continental (sem especificar por que meio), passando pelas idas das crianças e jovens à escola ou deslocações para trabalho sem necessidade de declaração patronal, se for para concelhos limítrofes ou na mesma área metropolitana.

Entre outras exceções, que podem até passar por ir até um hotel ou uma segunda residência, já que o decreto prevê "deslocações de cidadãos não residentes para locais de permanência comprovada".

Estudo mostra que a imunidade contra a covid-19 cai rapidamente

Um estudo britânico da Imperial College London e da Ipsos Mori mostra que a imunidade adquirida pelas pessoas infetadas e curadas de covid-19 "cai bastante rapidamente", especialmente nas pessoas assintomáticas, e pode durar apenas alguns meses.

De 20 de junho a 28 de setembro, os dois organismos acompanharam 350.000 pessoas escolhidas aleatoriamente na Inglaterra, que se submeteram a testes regulares em casa para verificar se possuíam anticorpos da covid-19.

"Durante o período, a proporção de pessoas que testaram positivo aos anticorpos da covid-19 caiu 26,5%, passando de 6% para 4,4% da população estudada", explica um comunicado, "o que sugere uma redução dos anticorpos nas semanas, ou meses, posteriores à infeção".

O estudo destaca que, embora todas as idades sejam afetadas por esta redução, os idosos acusam mais: entre junho e setembro, a percentagem de pessoas com mais de 75 anos com anticorpos registou uma queda de 39%, enquanto a redução foi de 14,9% na faixa de idade entre 18 e 24 anos.

A pandemia do SARS-CoV-2 já matou pelo menos 1.160.768 pessoas em todo o mundo desde que a doença foi identificada no final de dezembro, segundo os dados recolhidos hoje pela agência de notícias AFP de fontes oficiais.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de dezembro de 2019, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

* com Lusa

Outras Notícias

Outros conteúdos GMG