Já são cerca de 70 os casos associados a festa ilegal em Lagos

Foram realizados mais de 1100 testes a pessoas que estiveram na festa ou a quem teve contactos com elas. Os casos positivos são pelo menos 69 e os rastreios vão continuar.

O número de casos de Covid-19 na sequência de uma festa ilegal em Lagos já é de, pelo menos, 69 após serem realizados centenas de testes, de acordo com informações da Câmara de Municipal de Lagos.

"De acordo com as informações disponibilizadas pela Autoridade Regional de Saúde, atualizadas às 14h30 de hoje, estão confirmados 69 casos positivos de infeção pelo novo coronavírus com origem no evento de 7 de junho, dos quais 48 são respeitantes a cidadãos residentes no concelho de Lagos", informou a autarquia em comunicado.

De acordo com a Câmara, "desde segunda-feira, foram já realizados testes a cerca de 1100 pessoas, contabilizando as recolhas efetuadas pela ARS-Algarve, as recolhas efetuadas na Câmara Municipal e os testes feitos por iniciativa de privados".

A Câmara apela à serenidade e anunciou que as "informações serão atualizadas amanhã [sexta-feira] na conferência de imprensa conjunta que irá acontecer por volta das 15h00, em Loulé, com a presença das autoridades regionais da Saúde e da Proteção Civil, assim como do Presidente da Câmara Municipal de Lagos".

Durante a tarde já tinha sido avançado um número a rondar cerca de 60 casos positivos ​​​​​​​de acordo com informações avançadas esta quinta-feira, pelo presidente da Administração Regional de Saúde (ARS) do Algarve, Paulo Morgado, e por José Apolinário, coordenador regional do combate à doença no Algarve.

A festa ilegal que decorreu em Odiáxere, no concelho de Lagos, no dia 7, está a ser um grande foco da doença e já atinge outros concelhos do Algarve. Segundo Paulo Morgado, a maior parte dos casos regista-se no concelho de Lagos, mas afeta também pessoas de outros municípios, como Lagoa, Loulé e Portimão, e até de fora da região.

Segundo as autoridades de saúde, desde que o surto foi identificado no início da semana, foram realizados mais de 1000 testes, tanto a pessoas que participaram na festa como a pessoas que tiveram contacto como os que estiveram no evento ilegal. Os rastreios irão continuar.

A festa reuniu mais de uma centena de pessoas no salão de festas do clube desportivo da vila de Odiáxere, para uma festa de aniversário na noite de 7 de junho que desrespeitava as recomendações da Direção-Geral de Saúde. No sábado passado deu-se conta do surto com o primeiro infetado. E nos dias seguintes os casos foram surgindo e têm sido detetadas novas infeções todos os dias.

A Administração Regional de Saúde do Algarve revelou esta semana que estavam infetadas duas crianças, com sete e 12 anos, e estão duas pessoas internadas, com 39 e 27 anos.

Este novo surto já levou à proibição das visitas a 24 lares da Santa Casa da Misericórdia na região do barlavento algarvio. O presidente do Secretariado Regional das Misericórdias do Algarve, Armindo Vicente, disse que a decisão foi tomada após se verificar que algumas das pessoas que estiveram na festa trabalham em lares, são familiares de utentes ou podem ter outras ligações.

Também dois hipermercados de Lagos tiveram de ser desinfetados após a deteção de casos positivos.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG