Team Strada tem comportamentos impróprios? Denúncias contra o youtuber levam MP a investigar

Hugo Strada, o líder do grupo de youtubers Team Strada que vendia o sonho de fama e riqueza aos menores, enfrenta acusações de pedofilia. A Proteção de Menores enviou denúncias sobre o youtuber ao Ministério Público e a Procuradoria-Geral já instaurou um inquérito.

Na passada sexta-feira, Hugo Strada marcou presença no programa Curto Circuito, da SIC Radical, com a sua equipa de youtubers Team Strada. Depois do programa, no seguimento de uma partilha de um vídeo pelo humorista Pedro Teixeira da Mota no Twitter, Strada tem sido extremamente criticado nas redes sociais.

O vídeo partilhado por Teixeira da Mota, que conta agora com mais de 410 mil visualizações e 20 mil partilhas, mostra a parte do programa em que Hugo Strada, de 36 anos, apresentava os 10 membros da sua equipa de youtubers e um 11º membro, Dumbástico, de 16 anos, chega e salta para o colo do líder, dando-lhe um beijo nos lábios.

O momento desencadeou a polémica, que se tornou o assunto mais popular do Twitter na quarta-feira (24).

O youtuber João Sousa, que tem um canal com cerca de 730 mil subscritores, foi um dos primeiros a comentar a situação e publicou um vídeo com uma compilação de excertos de vídeos carregados na página oficial da Team Strada, que considera "desconfortáveis e duvidosos".

Na compilação pode ver-se Strada a entrar numa casa de banho, que está a ser utilizada por uma das jovens do grupo, acompanhado de vários dos outros youtubers da team; a tocar na campainha de uma fã durante a madrugada; a apontar um desodorizante em spray para os genitais de uma das raparigas do grupo; e a beijar um dos membros (menor) na boca.

O youtuber esclareceu que não tem nada contra nenhum dos membros da equipa, mas que "Isto é 10% de tudo o que [tem] visto até agora" e que tem "acompanhado isto há muito tempo e arrecadado muita informação e é mesmo preocupante, não [faz] esta m**** pelo clout [fama], acredito mesmo que existam crianças em risco", explicou João Sousa, que esclareceu que sente "que fazer isto já é mais um dever cívico do que outra coisa".

Vários youtubers que fizeram parte do projeto, mas que entretanto saíram, também utilizaram as redes sociais para denunciar Hugo e partilhar a sua história.

A jovem youtuber Luana escreveu na conta do Twitter, entretanto eliminada, que teve ataques de ansiedade depois de sair da equipa devido às ameaças que sofreu e por ter sido "tratada como m**** e restos". "Tentei seguir a minha vida mas depois são só bocas e indiretas de uma pessoa que tem idade para ser meu pai, e em momento algum eu falei m****, sempre me contive e passei uma imagem boa demais dele na net". Para além de ter acusado Strada de abuso psicológico, revelou ainda que "não paga os eventos" como prometido.

Contudo, Luana não concordou com as acusações de pedofilia, que qualifica como de "uma gravidade extrema", dando a entender que nunca tinha tido conhecimento de comportamentos menos adequados da parte de Hugo.

Melanie Vicente, que também fez parte do grupo, disse: "a única coisa que eu tenho feito desde que saí daquele projeto foi alertar os mais novos para a ilusão que aquele homem criou, do quão roubados estavam a ser. E com isto, esse homem foi fazer joguinhos psicológicos com a minha mãe, para que ela me obrigasse a ficar calada". A jovem acrescentou ainda acusações de extorsão infantil contra Hugo: "aproveita-se / aproveitou-se da nossa ingenuidade dizendo 'agora é trabalho duro para depois terem muito'".

A rede de voluntários digitais, a VOST Portugal, entrou em contacto com a Comissão Nacional de Proteção de Crianças e Jovens (CNPDPCJ) e pediu que fosse aberta uma investigação relativamente aos comportamentos de Hugo Sousa.

"Os últimos vídeos que vieram a público mostram o mesmo a entrar numa casa de banho onde está uma menor", escreveu a VOST. "Existem outros conteúdos que suscitam algumas questões relativamente à segurança, e bem-estar dos menores envolvidos".

A CNPDPCJ remeteu a informação para o Ministério Público - Família e Menores, por considerar que os jovens podem estar "perante eventuais situações que podem consubstanciar perigo".

A Procuradoria-Geral da República já confirmou a "instauração de um inquérito", conforme informação avançada pelo Observador. (O DN questionou a PGR, mas ainda não obteve resposta.)

O que é a Team Strada e quem é Hugo Strada?

O projeto surgiu em 2018 e é constituído por um grupo de jovens. No Facebook apresenta-se como "a casa [de 2 milhões de euros onde vivem] dos youtubers mais incríveis, mais loucos, bem-dispostos e prontos para fazer as melhores pranks [partidas], causar o pânico e aventurar-se em grandes desafios".

O canal, com um conceito pouco inédito, baseado em vídeos de partidas, desafios, atividades radicais e vídeos de clickbait, com títulos sugestivos como "Tive de expulsar um membro" e "Vamos ser pais", tem um público-alvo mais jovem.

O grupo, que tem audiência no Brasil, já foi alvo de muitas críticas, mas entre as dezenas de vídeos publicados, aquele que tem menos visualizações foi visto 30 000 vezes.

O líder do grupo é Hugo Strada, um gestor digital e musical de 36 anos, que, além de gerir o canal, já trabalhou com vários influencers e chegou a fazer músicas com o DJ Mastiksoul.

Strada, que tem sido acusado de extorquir menores e de ter relações estranhas com os membros do grupo e fãs, respondeu à polémica no Instagram.

"Estando eu e a Team Strada a ser alvo de comentários difamatórios e de acusações que põe em causa o meu bom nome, estando inclusive a haver manipulação de imagens, informo que irei encaminhar o assunto para que sejam tomadas as medidas legais para repor a verdade! Repudio qualquer acusação que me tem sido feita"

Dumbástico, o jovem que beijou Strada no programa da SIC Radical também se manifestou no Twitter.

Exclusivos