Câmara de Mafra decreta situação de alerta municipal. Há restrições ao abastecimento

O início da greve dos motoristas está marcado para segunda-feira, mas a corrida aos postos de combustíveis no país já se faz sentir. Em Mafra, a autarquia já decretou a situação de alerta municipal. Está em vigor desde as 17:00 desta quarta-feira

A Câmara Municipal de Mafra já decretou a situação de alerta municipal no âmbito da greve dos motoristas, cujo início está marcado para segunda-feira e por tempo indeterminado.

A informação foi revelada na página de Facebook da VOST Portugal - grupo de Voluntários Digitais em Situações de emergência. A situação de alerta municipal neste concelho está em vigor desde as 17:00 de quarta-feira.

"A Comissão Municipal de Proteção Civil adverte que no dia 07/08/2019 foi declarada a situação de alerta no Município de Mafra em virtude da convocatória de greve dos motoristas de matérias perigosas, com início no próximo dia 12/08/2019 [próxima segunda-feira]", lê-se na declaração de situação de alerta, que impõe restrições ao abastecimento.

"À semelhança do que sucedeu em abril do corrente ano, prevê-se que a referida greve venha a gerar uma situação de crise energética caracterizada pela ocorrência de dificuldades de aprovisionamento ou na distribuição de energia", lê-se no despacho da Câmara Municipal de Mafra.

Nesse sentido, entendeu o município, ser "necessário garantir, desde logo, um regular abastecimento energético, ou a minoração dos efeitos de eventuais perturbações nesse abastecimento, evitando-se, assim, a interrupção da normalidade das condições de vida das populações, e mantendo-se os serviços críticos e indispensáveis para as comunidades".

Perante o possível cenário de crise energética que pode ser criada pela greve dos motoristas, a autarquia de Mafra considerou ser necessário", através da proteção civil", a aplicação de medidas excecionais destinadas a garantir a racionalização dos abastecimentos energéticos essenciais" de modo a que seja garantida "a segurança das populações" bem como a "respetiva ordem pública".

Fica assim determinado "que todos os consumidores apenas possam abastecer 25 litros de gasolina ou gasóleo simples por cada viatura ligeira; 100 litros de gasolina ou gasóleo simples por cada viatura pesada e 100 litros de gasóleo agrícola". A "venda de combustível em jerricã está interdita", diz a declaração de alerta municipal.

O despacho, assinado pelo presidente da Câmara Municipal, Hélder Sousa Silva, detalha as restrições. Determina que "todos os operadores de venda de combustíveis combustíveis no município de Mafra fiquem obrigados a conservar "20% do combustível armazenado (gasolina e gasóleo simples), para uso exclusivo das forças de segurança, forças prioritárias e de apoio comunitário do Município".

De modo a promover um consumo moderado de combustível, deve-se evitar atividades que exijam o consumo de combustíveis fósseis "que não sejam essenciais", refere ainda o documento.

O despacho prevê também que seja solicitado "um reforço de patrulhamento e segurança nos postos de combustíveis".

Longas filas para abastecimento de combustível

O Sindicato Nacional de Motoristas de Matérias Perigosas (SNMMP) e o Sindicato Independente de Motoristas de Mercadorias (SIMM) entregaram, a 15 de julho, um pré-aviso de greve, com início na próxima segunda-feira, dia 12, e por tempo indeterminado.

Sem entendimento à vista entre motoristas e os patrões representados pela Associação Nacional de transportadores Público rodoviários de Mercadorias (ANTRAM) para evitar uma greve, e depois de o governo ter decretado os serviços mínimos entre os 50% e os 100%, a corrida aos postos de combustível já começou em vários pontos do país.

Os condutores decidiram precaver-se perante a greve dos motoristas, agendada para segunda-feira, e já há filas para abastecer. Há mesmo postos em que já começa a faltar combustível.

Mafra é um dos primeiros municípios a tomar medidas face ao período de greve, com início agendado para dia 12, com a declaração de estado de alerta municipal, que estabelece limites ao abastecimento.

De acordo com o Jornal de Mafra , registam-se neste concelho longas filas junto aos postos de combustível. Mafra, Ericeira, Malveira, Venda do Pinheiro são algumas das localidades onde se tem verificado filas junto às bombas e, "pontualmente, ruturas de fornecimento de alguns produtos".

Mapa online mostra bombas que ficam sem combustível

Para saber quais são as bombas que ficam sem combustível, o VOST Portugal tem online uma nova versão da plataforma #JáNãoDáParaAbastecer. O utilizador tem acesso a mapas com a indicação dos postos que existem em todo o território intercontinental. Já em abril, durante a primeira greve dos motoristas de transporte de matérias perigosas, foi diponibilizada esta plataforma, que agora surge melhorada e com novos recursos.

Em #JáNãoDáParaAbastecer, o mapa irá apresentar não só dados relativos a gasolina e gasóleo mas também GPL e, desta vez, será mais fácil consultar o mapa através do smartphone - em abril mais de 80% dos acessos foram feitos via mobile, informa a VOST.

Atualizado às 17:00.

Exclusivos