Premium Bispo do Funchal afasta padre suspeito de abusos

Bispo António Carrilho segue tolerância zero do Papa e Justiça investiga caso. Anastácio Alves, de 56 anos, atualmente em França, foi ordenado padre em julho de 1990, com mais outros sete padres, entre os quais o atual arcebispo Tolentino Mendonça. A notícia publicada na edição deste sábado no Diário de Notícias da Madeira

A Diocese do Funchal decidiu afastar da ação pastoral o padre madeirense Anastácio Alves, que há vários anos exercia funções em França mas que é suspeito de abuso sexual de um menor na Madeira.

A medida cautelar decidida pelo bispo D. António Carrilho representa uma importante viragem na forma como a Igreja Católica madeirense aborda este tipo de situações, pois manifesta-se "em profunda comunhão com o Papa Francisco" e publicamente "repudia e condena a pedofilia e é solidária com as vítimas e com as suas famílias".

Ler mais

Exclusivos

Premium

Adriano Moreira

O relatório do Conselho de Segurança

A Carta das Nações Unidas estabelece uma distinção entre a força do poder e o poder da palavra, em que o primeiro tem visibilidade na organização e competências do Conselho de Segurança, que toma decisões obrigatórias, e o segundo na Assembleia Geral que sobretudo vota orientações. Tem acontecido, e ganhou visibilidade no ano findo, que o secretário-geral, como mais alto funcionário da ONU e intervenções nas reuniões de todos os Conselhos, é muitas vezes a única voz que exprime o pensamento da organização sobre as questões mundiais, a chamar as atenções dos jovens e organizações internacionais, públicas e privadas, para a necessidade de fortalecer ou impedir a debilidade das intervenções sustentadoras dos objetivos da ONU.