Corpo desmembrado em Sagres. PJ deteve duas mulheres

As detidas, com 19 e 23 anos de idade, vivem no Algarve, e estão "social e familiarmente inseridas". Não têm antecedentes criminais, refere a Polícia Judiciária.

Foram detidas esta quinta-feira pela Polícia Judiciária, duas mulheres, suspeitas de crime de homicídio qualificado e de profanação de cadáver. Em causa o aparecimento de um corpo desmembrado em Sagres e uma cabeça em Tavira.

No comunicado enviado às redações a Polícia Judiciária, através da Diretoria do Sul e do DIC de Portimão, refere que os crimes ocorreram na região algarvia entre os dias 20 a 25 de março de 2020.

A vítima, um cidadão português com 21 anos de idade, também residente no Algarve, "foi desmembrada, tendo partes do corpo sido encontradas nas Zonas de Sagres e de Tavira", refere a nota.

As mulheres, de 19 e 23 anos de idade, residem no Algarve e estão "social e familiarmente inseridas". Não têm antecedentes criminais, avança a PJ.

Vão ser presentes a interrogatório Judicial para aplicação das medidas de coação.

Segundo o JN, a cabeça foi descoberta junto à cascata do Pego do Inferno, em Tavira, por um casal de turistas franceses que alertaram as autoridades. Horas mais tarde, um corpo decapitado foi encontrado numa arriba, em Sagres, a cerca de 150 quilómetros de distância. Estava desmembrado e enrolado em plásticos.

Ainda segundo o JN, o corpo foi descoberto numa altura em que decorriam diligências para encontrar um jovem desaparecido há cerca de uma semana. O carro do jovem já tinha sido descoberto nas imediações.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG