Cavaleiros e forcado acorrentam-se no Campo Pequeno em protesto

Setor tauromáquico critica Governo por não autorizar a reabertura das touradas nesta fase de desconfinamento e promove uma concentração de protesto esta segunda-feira ao fim da tarde.

Três cavaleiros e um antigo forcado acorrentaram-se esta manhã à porta do Campo Pequeno, em Lisboa, em protesto contra as restrições que impedem o regresso da tauromaquia. António Ribeiro Telles, Luís Rouxinol e Rui Fernandes são os cavaleiros tauromáquicos que participam no protesto, com o antigo forcado, José Luís Gomes, num dia em que a Prótoiro também convocou uma manifestação, a partir das 18.00, no Campo Pequeno, espaço onde a partir desta segunda-feira decorrerá o espetáculo "Deixem o Pimba em Paz", com Bruno Nogueira e Manuela Azevedo.

Os cavaleiros, como todo o setor da tauromaquia, consideram que estão reunidas as condições para o regresso dos espetáculos tauromáquicos, como acontece com outra atividades culturais, resume o site Toureiro,pt As praças de touros não foram autorizadas pelo Governo a retomar os espetáculos nesta fase de desconfinamento.

A Prótoiro contesta a decisão. Hélder Milheiro, secretário-geral da associação, critica o Governo, adiantando que o setor tauromáquico só pode "interpretar esta situação como forma de censura e discriminação, o que é inaceitável em pleno século XXI". Milheiro diz que sempre se disponibilizaram para dialogar com o executivo e com a DGS , entidades que "nunca colocaram obstáculos à retoma dos espetáculos taurinos". A PróToiro afirma que existem artistas e famílias a passar por dificuldades e acusa o governo de "desprezar o sofrimento destes trabalhadores".

Também a Associação Nacional de Toureiros considera a "situação intolerável"."Vamos mobilizar todos os recursos para o fim desta situação de discriminação arbitrária. A cultura não se censura", disse Nuno Pardal, Presidente da Associação Nacional de Toureiros, citado pelo site da Prótoiro touradas.pt

A partir das 18.00, o setor estará junto ao Campo Pequeno numa concentração. Diz a Prótoiro que "a ministra da Cultura e o Presidente da República irão estar presentes no primeiro concerto pos-covid, às 21h30, no Campo Pequeno, e o setor taurino vai fazer ouvir a sua voz de protesto contra o governo". Contudo, a agenda do Presidente do República indica que Marcelo Rebelo de Sousa assistirá ao espetáculo no dia 2 de junho, terça-feira, tal como a ministra Graça Fonseca que esta segunda à noite participa no programa da RTP Prós e Contras.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG