Capital do Natal prescinde de renas para não ferir suscetibilidades

Renas estiveram ausentes do parque nos últimos dias por questões administrativas e apesar de a organização considerar "estarem reunidas todas as condições ideais para o bem-estar dos animais", optou por retirá-las do recinto.

Depois das fotografias tiradas no fim de semana e que rapidamente se espalharam pelas redes sociais, mostrando algumas renas entristecidas e estendidas sobre a relva falsa na Capital do Natal, os animais foram provisoriamente retirados do local devido à falta de uma licença administrativa do Instituto de Conservação da Natureza e das Florestas.

Porém, agora a organização do evento decidiu prescindir definitivamente das renas para não ferir suscetibilidades. "Apesar de considerarmos estarem reunidas todas as condições ideais para o bem-estar dos animais, condições essas que foram atestadas por todas as entidades envolvidas no processo de certificação, antes e após a abertura Parque, somos sensíveis aos comentários e diferentes perceções que temos recebido e optámos por retirar as renas do recinto, de forma a não ferir a suscetibilidade de quem nos visita", pode ler-se num comentário publicado no Facebook.

A Capital do Natal frisa que "as renas que estiveram no parque Capital de Natal pertencem à entidade Burros do Magoito, uma entidade idónea e fidedigna, conhecida pelo tratamento exemplar que dá aos seus animais" e que "durante a sua permanência no recinto, os animais foram acompanhados em permanência por um tratador com conhecimentos adequados para garantir o maneio, alimentação, limpeza ou qualquer outra necessidade para o seu bem-estar, bem como por um veterinário".

Em declarações ao DN, Jorge Carvalho, o responsável pelos Burros do Magoito, a quinta pedagógica de onde vieram as duas renas, macho e fêmea, contratadas para o evento, já tinha referido que a Capital do Natal "tem todas as condições para receber as renas". "Na verdade, nunca estive num recinto que tivesse tão boas condições para expor os animais", afirmou. O recinto das renas tem 200 metros quadrados e, a pedido do responsável pelos animais, foi montada uma vedação com 1,90 metros de altura e com rede até meio. "Isto permite que as renas estejam soltas, nunca estiveram amarradas. E evita que as pessoas estejam a molestar os animais." Além disso, os animais têm um abrigo de 15 metros quadrados, água e comida à discrição, e estão sempre acompanhados de um tratador da quinta pedagógica. "A única coisa que se pode dizer é que seria melhor ter um chão mais natural, mas a alcatifa foi a melhor solução que se encontrou e elas estão bem, estão confortáveis", garantiu.

O evento está a decorrer até 12 de janeiro. O parque está aberto todos os dias, de segunda a quinta-feira das 12.00 às 23.00, à sexta e sábado das 10.00 à 0.00 e aos domingos das 10.00 às 23.00. Os bilhetes custam 25 euros para crianças dos três aos 12 anos e para seniores e 30 euros para adultos.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG