Avião português faz o repatriamento de canadianos do navio de cruzeiro

Um Boeing B777-200ER da companhia euroAtlantic Airways está no Japão, após fazer um voo direto de Lisboa com duração de 12 horas e 35 minutos. Irá agora rumar com cidadãos canadianos não infetados para o Ontario, no Canadá.

Um avião da companhia portuguesa euroAtlantic Airways irá fazer o repatriamento dos cidadãos canadianos, não infetados, que estavam a bordo do navio de cruzeiros Princess Diamond, em quarentena no Japão há 14 dias.

O anúncio foi feito pela empresa. "Uma aeronave da euroAtlantic airways (EAA) de matrícula portuguesa, Boeing B777-200ER (Triple Seven), está envolvida numa operação lançada a partir do Japão pelo Governo do Canadá, através do Global Affairs, um departamento de estado que gere as relações diplomáticas e consulares do país", diz a nota de imprensa divulgada.

Este avião realizou um voo direto para a região de Tóquio, uma viagem com a duração de 12 horas e 35 minutos. A companhia diz que este Boeing permite este tipo de registos.

"O Triple Seven com bandeira portuguesa que saiu do Aeroporto de Lisboa é um avião com características extraordinárias (tendo já voado durante 16h10m entre Singapura e Lisboa), realizou um voo direto de 12h35m para o Aeroporto de Haneda (HND) na região de Tóquio, onde está a recolher os cidadãos canadianos "Não Infetados pelo Coronavirus" (COVID-19) e vai transportá-los para a Base Aérea das Forças Armadas Canadianas de Trenton, um centro de transporte aéreo localizado em Quinte West, Ontario", lê-se no comunicado da euroAtlantic.

De acordo com a empresa, "a tripulação da euroAtlantic escalada para esta operação de resgate realiza o transporte dos passageiros canadianos entre o Japão e o Canadá debaixo de rigorosas medidas de segurança, elencadas pela Autoridade Aérea Europeia (EASA). O regresso a Lisboa está previsto após cumprido um despiste de quatro dias de quarentena na Base de Trenton, seguidos por pessoal médico canadiano".

As aeronaves da companhia portuguesa estão registadas na Autoridade Nacional de Avião Civil e operam em 84,5% dos países do Mundo.

A euroAtlantic recorda que "regressou agora ao Aeroporto de Haneda nove anos depois do país do Sol Nascente ter sofrido um dos maiores terramotos (8,9 escala de Richter). A empresa na altura tinha colocado dois aviões B767-300ER ao serviço do Governo da França, enquanto um terceiro da sua frota Boing B767 operava na Base Aérea Americana de Misawa para o Governo do Reino Unido transportando ajuda britânica".

A marca euroAtlantic especializada em transporte aéreo, charter e regular, mostra a bandeira portuguesa em situações de apoio a catástrofes. Em Moçambique, em 2019, na ocasião do ciclone Idai, reafirmou a missão.

Duas mortes no navio

Dois idosos infetados com o novo coronavírus, que saíram do cruzeiro em quarentena no Japão, morreram, anunciou o Ministério da Saúde japonês. Estes são os primeiros casos mortais entre mais de 600 pessoas infetadas com o Covid-19 no navio Diamond Princess, o que eleva para três o número de mortes causadas pelo novo coronavírus no país.

Estes dois octogenários, uma mulher e um homem, tinham alguns problemas de saúde e foram retirados do barco em 11 e 12 de fevereiro, indicou uma fonte do Ministério e a estação pública de televisão japonesa NHK.

Na quarta-feira à noite, Tóquio anunciou mais 79 casos confirmados a bordo, o que elevou o número total de infetados no Diamond Princess para 621 pessoas. O cruzeiro, ancorado no porto de Yokohama, a sul de Tóquio, é o maior foco de Covid-19 fora da China continental.

Também na quarta-feira, as autoridades japonesas deram início à operação de desembarque dos passageiros saudáveis, findo o período de quarentena do navio, iniciado em 03 de fevereiro. Esta operação deverá terminar na sexta-feira.

As cerca de 900 pessoas que não apresentaram sintomas, com análises negativas e sem contacto com infetados desembarcaram durante o dia, após 14 dias de quarentena.

Outras Notícias

Outros conteúdos GMG