Os judeus comemoram Shavuot

Começou a festa judaica de Shavuot, que assinala a entrega da Torá ao povo judeu no Monte Sinai há 3300 anos. As sinagogas do mundo inteiro exalam perfume natural. Flores, verdes e folhagens são o seu principal ornamento, da mesma forma que o Sinai esteve outrora coberto de vegetação.

A palavra Shavuot significa semanas. Ocorre no dia 6 do mês de Sivan, 49 dias (sete semanas) após Pessach, que assinala a fuga dos judeus do Egito. No Sinai, Deus revelou-se não apenas aos hebreus, mas a todos os demais escravos que com eles haviam fugido e que, a partir daquele momento, integraram a massa humana a que se viria a chamar de povo judeu. "Todo o povo viu as vozes e as tochas e o toque do shofar e a montanha fumegante..." (Shemot 20:15).

Shavuot dá sentido à conquista de Pessach, porquanto a liberdade de nada vale se não for acompanhada de leis e responsabilidades. Os eventos do Monte Sinai, de que Moisés foi instrumento principal, incutiram normas e ordem no povo libertado. De contrário, os festejos da liberdade estender-se-iam no tempo, tornando os libertados distraídos, ociosos e vaidosos, para logo serem recapturados.

Em Shavuot, os judeus costumam passar a noite inteira lendo porções da Torá e de outros livros sagrados. Recita-se o Ticun Lel Shavuot, um compêndio bem selecionado de sagradas escrituras, para cada qual ir de encontro à experiência da Revelação.

A atenta leitura da Meguilá Rute é uma tradição bem sustentada. Rute era uma princesa não judia da terra de Moabe que se casou com um judeu de altos méritos. Quando este faleceu, Rute decidiu abandonar toda a sua educação e a sua terra natal para se converter ao judaísmo e acompanhar Noemi, sua sogra, até ao final dos seus dias. Foi um acto de auto-sacrifício, pois Rute poderia ter regressado ao conforto que o estatuto da sua linhagem real moabita lhe permitiria. Em Belém, voltou a casar, desta vez com Boaz. Teve filhos, que tiveram filhos. David, neto de Rute, viria a tornar-se o rei de Israel, como os seus descendentes foram reis e exilarcas do povo judeu, e ainda hoje são esperados.

Certamente não por acaso, o Rei David nasceu e morreu no dia de Shavuot.

Presidente da direção da Comunidade Judaica do Porto

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG