Israel Vê Portugal. Honrai Pai e Mãe

Esta semana, no dia 8 de outubro, celebrou-se o Dia Mundial da Visão e a Embaixada de Israel em Portugal e a Shamir Optical Portugal deram o primeiro passo da longa caminhada que representa a operação Israel V Portugal.

Aqui, tivemos de juntar cabeça e coração. Quisemos transpor das palavras aos atos o (4.º) Mandamento bíblico: Honrar Pai e Mãe.

Temos a sorte de ter a Shamir Optical Industry em Israel, uma das mais avançadas indústrias de óptica do mundo situada no kibbutz Shamir na Alta Galileia, a poucos quilómetros da fronteira libanesa. Esta empresa sente o pulso às necessidades do presente e, prova disso mesmo, lançou agora uma gama de lentes antiembaciamento que, para além de melhorarem a vida ao comum de nós que precisa de óculos "todo-o-terreno", vão ser inestimáveis para os profissionais de saúde que têm de trabalhar, agora em tempo de pandemia, debaixo de muito equipamento de proteção.

Temos a sorte de ter a Shamir Optical Portugal, uma empresa imensa (em todos os bons sentidos), liderada por Luís Feijó, um homem com o coração no sítio certo e um sentido invulgar de solidariedade.

Foi, por isso mesmo, nele que pensei como o parceiro perfeito para por em prática esta minha ideia de levar cuidados de visão aos lares de terceira idade de Portugal. E ele não me desiludiu. Abraçou de imediato e entusiasticamente este projeto operacionalizado através de uma unidade móvel de refração visual, totalmente equipada e coordenada por uma equipa de optometristas que vão diagnosticar as necessidades visuais e equipar gratuitamente os óculos graduados aos mais carenciados, obedecendo estritamente a todos os protocolos de higiene e segurança.

Mas esta também é uma prova de endurance - a unidade móvel irá percorrer centenas de lares do país cumprindo a sua missão de solidariedade para com os mais velhos.

Eis-nos aqui. Estou a escrever-vos ainda sob a profunda impressão que me causou a nossa operação na Residência Sénior e Centro de Dia Fisgas de Alcoitão, da Santa Casa da Misericórdia de Cascais, onde nos honraram com a sua presença o Edil de Cascais, Carlos Carreiras e Isabel Migaens, Provedora da Santa Casa da Misericórdia de Cascais.

Emocionaram-me as expressões de gratidão à Embaixada, à Shamir e à sua equipa pela iniciativa, pelo profissionalismo e pela sensibilidade e respeito pelos mais idosos.

"Este é um tratamento VIP!", disse-me um deles. "Trazem a nós os optometristas e assim não temos de sair. Porque nem podemos, agora com a pandemia."

Foi precisamente este o sentimento que lhes quisemos transmitir. A este tão vulnerável segmento da sociedade em Portugal, na minha terra, Israel, e na grande generalidade dos países.

Merecem, sim, tratamento VIP!

Importamo-nos convosco.

Vocês são os nossos pais, mães, avós. Vocês são nós próprios em menos de um sopro.

Vocês trouxeram-nos até este mundo complicado e fascinante.

Temos uma dívida para convosco.

Que tristeza quando a Ana Carreira, Diretora da Residência (e uma cuidadora nata) me contou que dos seus 70 residentes, 10 foram totalmente abandonados pelas famílias:

"Nem um telefonema receberam desde que começou a pandemia. Nem para saber se estão vivos ou mortos. Nada."

Isto é atroz. É uma traição à base ética que é o fundamento da nossa sociedade.

A mensagem que quisemos transmitir com esta operação é diametralmente oposta:

Não são invisíveis.

Não estão sozinhos.

Não estão abandonados.

Leitor, famílias: não os abandonemos.

Honremos Pai e Mãe.

Embaixador de Israel

Outras Notícias

Outros conteúdos GMG