Lisboa: um balcão privilegiado para a Ibero-América

A maior rede Ibero-americana de estudos internacionais em Lisboa.

A Rede Ibero-americana de Estudos Internacionais (RIBEI), formada por 45 centros de investigação e think tanks especializados no estudo das relações internacionais com origem em 16 países de 2 continentes, se reúne em o ISCTE-IUL de Lisboa entre os dias 5 a 7 de novembro para analisar e debater o futuro da região ibero-americana e da América Latina no mundo, com uma perspetiva estratégica.

Este ano, o Centro de Estudos Internacionais (CEI-IUL) e o Instituto Português de Relações Internacionais (IPRI) organizam a VIII Conferência Internacional, com o tema "Há lugar para um espaço Ibero-Americano?", que contará com a presença de investigadores da América Latina, das Caraíbas, Espanha e Portugal.

As mudanças em América Latina e nas Caraíbas terá maior impacto global.

Através de seis painéis temáticos, pretende-se refletir sobre os desafios futuros da ordem global com a perspetiva e sensibilidade da comunidade académica ibero-americana. As mudanças de governos com as eleições no México, Brasil, Colômbia e Paraguai, assim como a mudança de orientação ideológica em Espanha, são de grande magnitude e que associadas com o aumento do descontentamento social, tal como se observa com os massivos e violentos protestos em Nicarágua, Venezuela, Haiti ou Honduras, podem augurar tempos contornados em todo o continente.

As dificuldades que enfrentam ambas as margens do Atlântico com os processos de cooperação e comércio multilaterais e regionais, são observadas na falta de acordo para o livre comércio entre MERCOSUR / EU, na suspensão da XXVI Cimeira Ibero-Americana prevista em Guatemala, nos conflitos na Europa com Brexit e nas disputas orçamentais, e na iminência da XIII Cimeira do G-20 em uma Argentina em crises. Estas questões colocam em dúvida a projeção temporal do espaço ibero-americano no cenário internacional e, especialmente, no futuro do próprio projeto ibero-americano perante uma globalização cada vez mais asiática.

Mais oportunidades ou ameaças para os espaços Ibero-americano?

Para dar um contexto apropriado à reflexão, relacionado com o quadro mais geral das relações, a VIII Conferência do RIBEI enfocará uma série de questões, como o novo cenário geopolítico, os problemas de desenvolvimento e a evolução da democracia, a revolução tecnológica e o futuro das relações com outras regiões.

As opções de convergência transatlânticas continuam a ser grandes, mas as ameaças de divergências são reais, como um aumento da conflitualidade em Venezuela que pode envolver outros estados sul-americanos; as ações dos Estados Unidos para deter a presença chinesa na região; os problemas de migrações tanto no Mediterrâneo europeu como na América Central e do Norte, nos desafiam a analisar com atenção a viabilidade de um espaço ibero-americano.

Lisboa será um palco privilegiado para considerar estes e outros desafios globais, com a presença de notáveis analistas de ambas margens do Atlântico.

Ex-Embaixador de Paraguai em Portugal e investigador del Centro de Estúdios Internacionais (CEI-IUL)

Ler mais

Exclusivos

Premium

Daniel Deusdado

Começar pelas portagens no centro nas cidades

É fácil falar a favor dos "pobres", difícil é mudar os nossos hábitos. Os cidadãos das grandes cidades têm na mão ferramentas simples para mudar este sistema, mas não as usam. Vejamos a seguinte conta: cada euro que um português coloca num transporte público vale por dois. Esse euro diminui o astronómico défice das empresas de transporte público. Esse mesmo euro fica em Portugal e não vai direto para a Arábia Saudita, Rússia ou outro produtor de petróleo - quase todos eles cleptodemocracias.