Fique em casa e faça yoga

Com o mundo a enfrentar o medo, a ansiedade financeira e o isolamento causados pela pandemia de covid-19, nunca houve melhor altura para praticar yoga. Enquanto aguardamos que a ciência moderna descubra a cura ou uma vacina para a covid-19, milhões de pessoas a nível mundial estão a praticar yoga no conforto das suas casas e a fazer outra descoberta - o yoga não só as deixa mais em forma e flexíveis, como também mais calmas, felizes e imunes a doenças.

Em 2014, a Assembleia Geral das Nações Unidas, com o apoio de um número recorde de 175 países, reconheceu os benefícios holísticos do yoga para a saúde e declarou o dia 21 de junho (o dia mais longo do ano) o Dia Internacional do Yoga para melhorar o bem-estar mundial. Neste domingo, dia 21 de junho, celebra-se o 6.º Dia Internacional do Yoga sob o tema "Fique em Casa e Faça Yoga", considerando as medidas associadas à covid-19 e ao distanciamento social.

O yoga é o presente milenar e espiritual oferecido pela Índia à humanidade, existindo relíquias da civilização do vale do Indo datadas de até 3300 a.C., que ostentam figuras a praticar yoga. Mais tarde, o grande sábio indiano Maharishi Patanjali codificou as práticas de yoga no seu Yoga Sutras (entre 500-200 d.C.). Desde então, o yoga tornou-se uma prática bastante desenvolvida que se espalhou pelo mundo.

O yoga é muito mais do que um conjunto de exercícios físicos; é uma prática espiritual. Significa literalmente "união", e não só procura unir as energias físicas, emocionais, mentais e espirituais dentro do indivíduo como também liga essas energias à elevada frequência vibratória e à consciência do universo. Como comprovado pela física quântica, o universo é energia vibratória consciente; quando as nossas energias estão harmoniosamente alinhadas com o universo deixa de haver resistência, e o corpo medra de forma saudável, como determinado pela natureza. Como o primeiro-ministro Narendra Modi disse na ONU: "O yoga é uma forma de descobrir o sentido de unidade entre o ser, o mundo e a natureza." Ensina-nos que não podemos controlar forças externas ou o que nos acontece, mas podemos sempre controlar a forma como reagimos a esses acontecimentos. A nossa felicidade depende apenas de nós. Aprendemos a aceitar qualquer situação que a vida nos ofereça, de forma serena e positiva, porque percebemos que tudo é exatamente como está destinado - tudo o que acontece serve para nos ensinar e ajudar a transformar em pessoas melhores, com níveis superiores de consciência. Ao abandonarmos hábitos condicionados e reativos, como culpar, reclamar e sermos negativos, aprendemos a confiar na vida e a deixá-la fluir; descobrimos a verdadeira liberdade, o que conduz a uma profunda sensação de bem-estar que não depende de circunstâncias exógenas ou mudanças de humor. Não é exatamente disto que este mundo inquieto precisa, nestes tempos de pandemia?

Com o atual stress da vida moderna, 70% das despesas mundiais de saúde são incorridas em doenças crónicas que resultam do estilo de vida, como diabetes, problemas cardíacos, hipertensão e osteoartrite, com as doenças mentais a aumentarem de forma alarmante. A medicina moderna pretende reparar algo que está partido, i.e., tratar as doenças quando ocorrem e mitigar os sintomas. Para o yoga e o ayurveda, o sistema tradicional da medicina indiana, ser-se saudável é o estado natural; concentram-se assim na prevenção de doenças, na manutenção e promoção da saúde, e na eliminação da causa do problema, restaurando a harmonia natural do corpo. Tal não pode ser só conseguido através da toma incessante de comprimidos; é necessário perceber a causa do stress (a mente, que Patanjali descreve como "um macaco desassossegado"), através de práticas como respiração e meditação.

No atual contexto, o yoga é um impulsionador extremamente eficaz da nossa imunidade, com provas dadas pelo tempo, que fortalece o sistema linfático e imunológico do corpo. Ao invés de fazer bolos de forma desenfreada ou perder tempo em maratonas televisivas, alguns minutos de exercícios respiratórios suaves (pranayama) e de alongamentos (asanas) irão rejuvenescer os órgãos internos, reduzir o stress, fortalecer o sistema nervoso, desintoxicar o corpo e abrir caminhos de energia, acelerando a cura. O yoga limpa os pulmões, estimula as glândulas, equilibra as hormonas, melhora a circulação sanguínea e a absorção de nutrientes. O cérebro liberta mais GABA (ácido gama-aminobutírico), substituindo a ansiedade pela calma, conduzindo a um sono reparador, vital para a cura e a imunidade. Com a investigação científica a confirmar estes benefícios de largo espetro, o mundo está a integrar esta sabedoria milenar na medicina e na psicologia modernas.

Não é portanto de surpreender que o yoga esteja a ser adotado por milhões em todo o mundo, sendo também extremamente popular em Portugal. Todos os anos, centenas de portugueses entusiastas juntam-se a nós na celebração do Dia Internacional do Yoga. Há universidades e mais de 15 institutos de yoga que ensinam o tradicional ashtanga, sivananda e iyengar yoga, assim como os mais modernos vinyāsa yoga, hot yoga, ginástica yoga, etc., juntamente com meditação, massagem e ayurveda. A Confederação Portuguesa do Yoga (CPY), liderada pelo Sat Guru Amrita Súryánanda Mahá Rája, dirige 62 ashrams de yoga e centros de formação em Portugal. Graças às diligências da CPY, mais de dez mil crianças portuguesas em idade escolar praticam yoga em 162 escolas. Atualmente, a CPY está a colaborar com o Ministério da Educação em Portugal e com a Embaixada da Índia num projeto que visa validar de forma empírica os benefícios físicos, mentais e emocionais do yoga para as crianças em idade escolar. Durante a visita de Estado à Índia de Sua Excelência o Presidente da República, professor doutor Marcelo Rebelo de Sousa, em meados de fevereiro de 2020, a CPY assinou um memorando de entendimento com o instituto SVYASA na Índia, para colaboração neste projeto. A CPY também desempenhou um papel fundamental na declaração do Dia Internacional do Yoga por parte das Nações Unidas. Reconhecendo tudo isto, o governo da Índia distinguiu o Sat Guru Amrita Súryánanda Mahá Rája com o Padma Shri, uma das maiores honras civis da Índia. Nos últimos dois anos, uma professora de Cultura Indiana na Embaixada da Índia também tem dado aulas gratuitas de yoga à Polícia Judiciária, à diáspora indiana e ao povo português. Mesmo durante o confinamento, têm sido oferecidas três aulas online por semana a mais de 60 alunos.

Desde um treino físico a uma pausa mental repousante, ou até uma experiência espiritual, o yoga oferece tudo isto. As pessoas em paz consigo mesmas são o segredo para um mundo saudável e harmonioso. E o melhor é que qualquer pessoa pode praticar yoga, independentemente do estilo de vida e da condição física! É simples e flexível e extremamente benéfico, razões pelas quais se tornou um mantra de bem-estar em todo o mundo. Participe nas nossas sessões de yoga online neste fim de semana: "Yoga no Trabalho e para Gerir o Stress", no sábado; a sessão da Confederação Portuguesa do Yoga, no domingo de manhã; e uma sessão de yoga ao vivo, a partir da residência da Embaixada, no domingo ao final da tarde (detalhes em www.facebook.com/IndiainPortugal/). Na página da Embaixada (www.eoilisbon. gov.in) pode encontrar vídeos de yoga e informação útil, incluindo bolsas de estudo para estudar yoga e ayurveda na Índia.

Convido-vos a juntarem-se ao processo global de cura, integrando o bem-estar nas vossas vidas e abraçando o yoga a partir do conforto dos vossos lares. Feliz Dia Internacional do Yoga!

Embaixadora da Índia em Portugal

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG