Estamos a dar o nosso melhor pelo planeta?

A sustentabilidade é, atualmente, uma das palavras mais ouvidas no dia-a-dia dos portugueses. Foi, aliás, um dos temas mais abordados durante o período de campanhas eleitorais. Das propostas pela preservação às campanhas mais sustentáveis, o ambiente não ficou de fora da agenda política.

Mas será que estamos a dar o nosso melhor pelo planeta?

Acreditamos que o futuro do planeta deve ser uma preocupação dos políticos, das empresas, e, acima de tudo, de todos os cidadãos. Acreditamos que, se todos fizermos a nossa parte, podemos alcançar um ecossistema mais sustentável e saudável. Acreditamos que o meio ambiente não deve apenas ser usado em campanhas e ações de camuflagem.

Por tudo isso, temos a convicção que, mais importante que sugerir medidas é fundamental colocá-las em prática.

É necessário agir de imediato em diferentes sectores com impacto direto no meio ambiente. Se a mobilidade urbana e os combustíveis fósseis são um problema, também a agricultura e o turismo estão a afetar negativamente o planeta. Devemos, portanto, procurar soluções capazes de alavancar o crescimento económico e, ao mesmo tempo, criar condições para as futuras gerações.

As práticas mais sustentáveis devem ser encaradas como uma oportunidade e um sentimento de dever. Queremos contribuir para um mundo sem plásticos no oceano, banindo as embalagens e garrafas de plástico de uso único e apostando em alternativas. Queremos promover a implementação do sistema PAYT (Pay-as-you-throw) na gestão de resíduos sólidos, com campanhas de sensibilização direcionadas para as futuras gerações. Novas práticas devem ser introduzidas no quotidiano dos cidadãos e empresas, com vista a soluções mais eco-friendly.

Por isso, defendemos também a descarbonização da economia nacional, o aumento da eficiência energética do parque edificado em Portugal e um reforço da aposta nas energias renováveis. Começando desde logo pela certificação energética dos edifícios públicos e pela promoção da renovação energética, com foco na redução do desperdício e da ineficiência energética.

Sem deixar de fora a mobilidade sustentável. Pois é urgente reduzir as emissões nas cidades, cuja solução passa por uma aposta numa melhor rede de transportes públicos e incentivos à utilização de veículos não-poluentes. Devem ser criadas condições para diminuir a idade do parque automóvel nacional e contribuir para a descarbonização dos aglomerados populacionais, apostando num conjunto de vantagens para quem opte pela preservação do ambiente.

Sabemos que esta é uma agenda ambiciosa, que só poderá ser concretizada com o envolvimento de toda a sociedade e todas as entidades, públicas e privadas. É isso que vamos fazer no Visões do Futuro - reunir um conjunto alargado de pessoas e instituições que, colaborando entre si, podem tornar realidade a ambição de sermos um país cada vez mais sustentável. Marcado para os próximos dias 18 e 19 de outubro no Pavilhão Carlos Lopes, em Lisboa, o evento vai discutir soluções para a sustentabilidade, a mobilidade e a vida saudável dos portugueses. Porque o futuro do planeta depende de todos nós.

DECO PROTESTE

Exclusivos