A razão de Darwin

No início foi o medo...

Depois foi o aliviar o medo...

Depois foi o início do deixa andar que isto não é tão mau como pintam...

Depois foi o consolidar do deixa andar que isto não é tão mau como pintam...

Depois foi o arrepio...

Agora é o pânico...

O vírus SARS CoV 2, aquele que provoca a Covid 19, é estúpido, é ignorante! Os vírus não têm vontade própria como querem fazer crer os especialistas que falam dele como de um ser pensante se tratasse. Não, não é um ser pensante, não se adapta às circunstâncias porque quer, não faz diferente porque a sua vontade assim o quer e determina. Não, o vírus é um ser estúpido! Age sempre da mesma maneira: infecta! Que é o que a natureza lhe designou como missão, infectar. E não sabe fazer outra coisa. Logo é estúpido!

Mas nós, humanos, não o somos, isto é, não deveríamos ser, estúpidos.

E, para não sermos aquilo que às vezes parecemos, isto é, estúpidos, tornamo-nos especialistas.

Este país é fértil em especialistas, uma variante de pessoas com conhecimentos em várias áreas de intervenção sócio/desportivo/político/cultural/científico (digo-o sem qualquer substracto científico corroborativo, mas com a convicção genuinamente lusa de que assim é)

que vão mudando do sócio para o desportivo, para o político, para o cultural ou para o científico consoante os temas em voga para comentar sejam de uma área ou de outra, mantendo a sua identidade própria, e que se têm evidenciado ainda mais devido ao surto epidémico que assolou o mundo e que se podem definir como: especialistas em diversos!

Um Especialista em Diversos tem como fonte principal, como o nome indica, os diversos aspectos sócio/desportivo/político/cultural/científico com que somos brindados diariamente pela comunicação social que por sua vez é alimentada pelos factos sócio/desportivo/político/cultural/científicos que vão ocorrendo diariamente

(faço aqui um acto de contrição: não sou, infelizmente, particularmente especialista nas áreas em que os Diversos versam habitualmente. Sou Especialista em Anatomia Patológica fruto de trabalho, estudo e dedicação. Isto não quer dizer que um Especialista em Diversos não trabalhe, estude e se dedique, o que me provoca alguma inveja, já que não me considero capaz de abarcar todas as áreas dos Diversos).

Adiante.

Agora, com a necessidade imperiosa de se conhecer melhor o que o estúpido do vírus anda a fazer para nos tramar, a pressão sobre os Especialistas, aqueles que fruto do trabalho, estudo e dedicação o são efectivamente, é enorme, tão grande como o espaço e o tempo são pequenos para que se possam ter conclusões cabais

(o tempo é uma variável importantíssima na investigação científica, pois só o tempo permite distância suficiente para se poder aquilatar a veracidade das hipóteses confirmativas ou infirmativas de uma tese que se quer válida e com poder de ajudar em decisões que se têm de basear em evidência científica) sobre tudo o que o vírus na sua viagem de circumnavegação vai provocando.

E como a pressão é enorme, os Especialistas tendem muitas vezes a cair para o facilitismo com que os entendidos em diversos são pródigos: têm opinião própria. Que não é consubstanciada em provas cabais mas em convicções pessoais (como o fiz acima), ajudando desta forma a um tipo de informação que desinforma e confunde. A convicção pessoal é uma ferramenta dos tais milhões de "especialistas em diversos" que pululam neste País, alguns deles com os seus espacinhos próprios nos canais de televisão, mas não deveria ser uma ferramenta dos Especialistas que nos deveriam sossegar com as suas informações baseadas em ciência.

E é aqui que a estupidez do vírus ganha à estupidez humana. O vírus não pensa, age sempre da mesma forma. Os humanos pensam e variam a sua forma de actuar sempre que as convicções pessoais se sobrepõem ao conhecimento científico, dando desta forma razão a Darwin que teorizou sobre a selecção natural das espécies, dizendo:

Como muitos mais indivíduos de cada espécie nascem do que podem sobreviver; e como, consequentemente, há uma luta recorrente e frequente pela existência, segue-se que qualquer ser, se variar de alguma forma ligeiramente positiva para si mesmo, sob as condições complexas e às vezes variáveis da vida, terá uma melhor chance de sobreviver e assim ser naturalmente selecionado.

Do forte princípio da hereditariedade, qualquer variedade selecionada tenderá a propagar sua forma nova e modificada.

A estupidez do vírus aliada à estupidez humana faz com que a razão de Darwin seja uma razão presente e actuante, seja na selecção da variedade vírus, seja na selecção dos mais fortes que poderão sobreviver na sua forma nova e modificada.

Não é para isto que estudam os Especialistas que promovem conhecimento através da ciência, para aliviar o sofrimento humano, mas é para isto que contribuem os muito ouvidos "especialistas em diversos" deste País e um pouco por todo o Mundo.

Médico

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG