A despedida do menino japonês que viu Eusébio jogar

Quem diria que aquele menino, grande admirador de futebol, que ficou encantado ao assistir ao jogo de futebol do Benfica em Tóquio em 1970, visitando até o hotel no dia seguinte para pedir o autógrafo de Eusébio, e que estudou seis anos num liceu fundado pelos jesuítas, de 1968 a 1974, tendo até a disciplina de educação moral, seria nomeado posteriormente como Embaixador do Japão em Portugal?

Queria transmitir a minha profunda gratidão pela vossa amizade e apoio que recebi durante o tempo que estive em Portugal.

A minha chegada a Portugal foi no início de novembro de 2017. Ao refletir sobre estes últimos dois anos, não posso deixar de afirmar que tive a felicidade de ter iniciado a minha missão em Portugal numa boa altura deste país. O período de dois anos pode ser considerado curto para a missão de um Embaixador, mas tenho certeza que foi uma experiência muito rica e frutífera, repleta de várias realizações importantes.

Para começar, a relação económica entre o Japão e Portugal estava estagnada devido à crise financeira global, mas a situação reverteu-se com o crescimento do comércio e do investimento nos últimos anos.

Além disso, importa ressaltar que foi assinado o Acordo de Parceria Económica entre o Japão e a União Europeia em julho de 2018. Este acordo poderá favorecer largamente o crescimento do comércio bilateral. Tenho-me esforçado para promover e divulgar os possíveis benefícios que esta parceria pode trazer para Portugal, através da audição na Assembleia da República e das palestras realizadas em várias cidades em Portugal.

No mesmo ano, a Keidanren, confederação das grandes empresas japonesas, e outras entidades económicas japonesas enviaram missões a Portugal. Tivemos também, pela primeira vez, a presença de empresas japonesas de start-up na Web Summit no ano passado, que contou com a participação de 6 empresas japonesas. Este ano, na segunda edição, registou-se um aumento significativo com a participação de 24 empresas japonesas. Por outro lado, devo salientar que houve um salto no domínio do diálogo político neste ano. Recebemos a visita do Sr. HIirai Takuya, Ministro da Política Tecnológica, e mais três delegações oficiais dos parlamentares do Japão.

De Portugal para o Japão, por sua vez, foram também realizadas visitas de personalidades importantes, nomeadamente, Suas Excelências o antigo Primeiro-ministro e ex-Presidente da República, o Prof. Doutor Aníbal Cavaco Silva, o Ministro do Planeamento e da Infraestrutura, Dr. Pedro Marques, a Secretária de Estado dos Negócios Estrangeiros e da Cooperação, Dra. Teresa Ribeiro, o Secretário de Estado da Internacionalização, Dr. Brilhante Dias e o Presidente da AICEP, Dr. Castro Henriques. As suas visitas ao Japão foram fundamentais para intensificar ainda mais o intercâmbio entre os nossos países.

O desenvolvimento das relações bilaterais, tanto na área política como na económica, baseia-se no crescimento mútuo de interesses entre os dois povos. O facto de o número de turistas japoneses a visitar Portugal ter aumentado para o dobro, e o número de portugueses a viajar ao Japão ter aumentado ao triplo, demonstra este elevado grau de interesse mútuo. Os japoneses têm vindo a valorizar cada vez mais os pontos fortes de Portugal, tais como a estabilidade política e económica, a segurança pública, e o povo qualificado, trabalhador e fluente em várias línguas.

A história entre o Japão e Portugal remonta ao ano de 1543, e o próximo ano também será um marco histórico: estamos a preparar as celebrações de 160 anos de relação diplomática. Além do mais, os jogos olímpicos e paraolímpicos em Tóquio também serão certamente uma ocasião relevante e única para aprofundar o intercâmbio entre os dois países. Estou cada vez mais certo de que a nossa relação de amizade será ainda mais reforçada através destas oportunidades.

Durante a minha missão em Portugal, consegui visitar várias regiões de Portugal, do norte ao sul, incluindo a Madeira e os Açores. Recentemente, tive a oportunidade de visitar o famoso Vale do Côa, Património Mundial da UNESCO. No entanto, Portugal ainda tem muitos outros lugares maravilhosos que gostaria de ter visitado e não consegui.

Deixarei Portugal no dia 13 de dezembro, mas parte do meu coração, com as recordações e saudade, continuará a ficar em Portugal. Por isso, não direi agora "Adeus!", mas despedir-me-ei de vós "Até à próxima !!".

Embaixador do Japão em Portugal

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG