O Paquistão celebra o 75.º aniversário da independência

Hoje, dia 14 de agosto de 2022, comemoramos o 75.º aniversário da independência do Paquistão. O nosso pai fundador, Quaid-e-Azam Muhammad Ali Jinnah, imaginou um Paquistão democrático, tolerante e progressista. Um país onde todos os cidadãos tivessem liberdade para moldar as suas vidas de acordo com as suas crenças e valores culturais, sociais e religiosos. Um país com governação baseada no Estado de direito, no constitucionalismo, nos direitos humanos e nos princípios democráticos. Um país oferecendo oportunidades iguais para todos os cidadãos beneficiarem do progresso socioeconómico e tirarem o máximo partido dos seus talentos e competências numa política livre de injustiça e de opressão.

Desde a nossa independência em 1947, foram feitos progressos impressionantes relativamente a questões de desenvolvimento e erradicação da pobreza. Os setores de saúde e educação testemunharam melhorias consideráveis. Da mesma forma, o desenvolvimento da indústria, negócios, serviços financeiros e infraestrutura têm recebido uma atenção consistente de todos os governos. O setor agrícola continua a ser um dos principais contributos para a economia do Paquistão.

Nos últimos 75 anos, o Paquistão também testemunhou o fortalecimento da cultura e das instituições democráticas. Um poder judicial independente, meios de comunicação social pujantes e cidadania ativa garantem o respeito pela voz das pessoas na formação do futuro do país.

O Paquistão, um país de 225 milhões de pessoas, com grande proporção de jovens, é abençoado por um tremendo potencial económico. Encontra-se na encruzilhada da Ásia Central, Ásia do Sul e Ásia Ocidental. Partilha fronteira com a China. A localização geográfica do país faz dele o mais promissor corredor comercial e energético unindo estas regiões.

O Paquistão é um país diversificado em termos de cultura e etnia. A civilização do Vale do Indo, que corresponde aproximadamente ao Paquistão de hoje, remonta a cerca de 3.300 A.C. O Paquistão também abriga várias línguas de longa tradição literária, poética e musical. A nossa paisagem varia de um longo litoral no Mar Arábico até uma das montanhas mais altas do mundo. Devido à sua longa tradição histórica e beleza natural, o Paquistão é o destino favorito de muitos turistas. O Paquistão está igualmente concentrado em desenvolver as suas ofertas turísticas. Após as melhorias relativamente à pandemia de covid-19, assistimos a um aumento no turismo doméstico e internacional no Paquistão.

Atualmente, o Paquistão, como outros países do mundo, enfrenta riscos do ponto de vista económico devido à atual situação económica global. O foco do Governo, portanto, está na disciplina fiscal e na estabilidade económica. As suas prioridades são criar um ambiente favorável aos negócios para o investimento estrangeiro em diferentes setores da economia paquistanesa, aumentar as receitas, impulsionar o comércio internacional, particularmente as exportações, aumentar as remessas e tornar o setor de energia sustentável.

O Paquistão está inteiramente determinado em abraçar os desafios do desenvolvimento e concentrar-se nos aspetos geoeconómicos. Está apostado em conseguir alcançar os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) e realizar a sua aspiração de contribuir para a paz e a prosperidade globais como uma economia de alto rendimento até 2047 - no primeiro centenário da Independência.

Além de lutar pela prosperidade, bem-estar e segurança dos nossos cidadãos, o objetivo principal da nossa política externa continuará a ser a paz e a estabilidade na região e para além dela, com base no respeito mútuo e na igualdade soberana. Buscamos uma vizinhança pacífica baseada na coexistência mútua, conectividade regional e prosperidade partilhada.

Paquistão e Portugal estabeleceram relações diplomáticas logo após a nossa independência. Ambos os países mantêm relações amistosas e cordiais. Ambos os governos estão empenhados em melhorar as relações económicas bilaterais. Paquistão e Portugal assinaram acordos bilaterais relativos ao serviço aéreo, comércio e promoção de investimentos. Os dois países também formalizaram um acordo no sentido de trabalharem em conjunto para melhorar as relações bilaterais.

Um número significativo de cidadãos paquistaneses, ou pessoas de origem paquistanesa, vive em Portugal. Orgulhamo-nos do seu contributo para a vida socioeconómica de Portugal. O seu papel também é apreciado pela comunidade anfitriã e pelas instituições do governo.

Aproveito esta oportunidade para felicitar a comunidade paquistanesa e os amigos do Paquistão em Portugal por ocasião do nosso Dia da Independência. Expresso ainda o nosso total empenho na melhoria e aprofundamento das atuais excelentes relações Paquistão-Portugal.

Embaixador do Paquistão em Portugal

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG