Cavaco Silva: o direito à critica

Cavaco Silva fez um discurso duro, mas em que muitos e muitos portugueses se reveem. É evidente que as hostes socialistas não gostaram, acusaram-no de linguagem ofensiva e antidemocrática e de pôr as vestes de militante do PSD.

Os socialistas parece que não têm memória, esqueceram o que tantas vezes Mário Soares disse, quer como Presidente da República, quer como ex-Presidente da República.

Mário Soares celebrizou uma frase, "o direito à indignação".

Ouvi, depois li e reli o discurso de Cavaco Silva e achei-o perfeitamente aceitável no quadro de uma democracia: o direito à opinião e o direito à crítica.

Dentro das nossas instituições, a democracia é uma das mais frágeis: parece uma película muito fina para se poder rasgar, deixar à mostra a tradição antiga da humanidade que é a ditadura. A democracia é um fenómeno moderno, muito recente A tradição é o garrote, a força bruta, o autoritarismo.

Há várias frases célebres no PS para impor o seu pensamento. Jorge Coelho, "quem se mete com o PS leva", ou uma mais recente de António Vitorino, "habituem-se".

O PS tem que aprender a conviver com as críticas sejam elas de quem forem e perceber que as coisas não estão a correr tão bem como pensavam. Talvez fazer um exame de consciência e lamentar algumas falhas ou erros cometidos. A humildade em política é um acto de inteligência.

Os socialistas estão numa fase, mesmo que cometam actos repreensíveis , acham que não é grave , tendo em conta a dedicação com que cumprem a sua tarefa. É assim que perdem a noção da realidade.

Ninguém fica a ganhar, em democracia é essencial haver pluralidade de opiniões, uns no poder, outros na oposição.

Cavaco Silva não está coarctado da sua liberdade de opinar e criticar. É um direito cívico e pelas repercussões fez mossa.

A denúncia de abusos de poder, de injustiças, de gente sem escrúpulos.

É importante tratar de abrir os olhos a quem os têm fechados, procurar que as pessoas reparem no que se passa à sua volta e quem detém o poder, argumentando contra as arbitrariedades, denunciando práticas intransigentes exercidas em democracia, protestando contra decisões tomadas, abuso dos direitos e liberdades e advertindo as formas menos lícitas de actuar e governar.

Acredito que a sua influência é enorme de outro modo, as reacções não existiriam. Cavaco Silva tocou no cerne da questão: o PS tem governado mal e acumula erros atrás de erros.

Criticar é um dever cívico e um direito.

(Fundador do Clube dos Pensadores)

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG