1 de outubro, Dia Mundial do idoso

O envelhecimento da população mundial, é cada vez mais, não só um problema de saúde publica, mas também um problema social, económico, político, um desafio e uma oportunidade a resolver hoje e no futuro próximo.

Existem no mundo 600 milhões de pessoas com mais de 60 anos. Em 2025 este número será o dobro, ou seja, 1200 mil milhões. A União Europeia (UE) tinha a 1 de janeiro deste ano, uma população de 447 milhões de pessoas, das quais 10,3 deles em Portugal.

Segundo dados do Eurostat, Portugal é o segundo país na europa com mais idosos (22%) a seguir a Itália (23%), e será em 2050 um dos países da União Europeia com maior percentagem de idosos e menor percentagem de população ativa.

O Instituto Nacional de Estatística prevê igualmente que no ano de 2050, que um terço da população portuguesa seja idosa e quase um milhão de pessoas tenha mais de 80 anos. Estes cálculos são feitos com base na tendência de envelhecimento da população, resultante do aumento da esperança de vida e da diminuição dos níveis de fecundidade. Portugal é, no entanto, o país em que os idosos tem menor qualidade de vida, são mais frágeis e mais dependentes, condicionando um aumento dos custos com a saúde e com a dependência.

Em 14 de dezembro de 1990, a Assembleia Geral das Nações Unidas votou para estabelecer o 1º de outubro como o Dia Internacional do Idoso, conforme registrado na Resolução 45/106.

Este ano pretendemos lembrar a comemoração deste dia para que cada um dos portugueses acompanhe o envelhecimento populacional como uma vitoria de todos: dos profissionais de saúde, da vacinação, do controlo das doenças crónicas, do combate á pobreza, mas sobretudo dos serviços de proximidade das autarquias com o fornecimento de serviços como o abastecimento publico de água potável, do saneamento básico e a habitação condigna.

A nossa sociedade não é amiga das idosas e dos idosos, criando condições de desigualdade e injustiça numa democracia que se pretende plural, justa, igual e social.

Respeitar as pessoas idosas é tratar o próprio futuro com respeito, pois um dia seremos todos idosos.

Criar um caminho para a Equidade e valorização da pessoa idosa, é o lema que apresentamos para este dia mundial e que nos levará a fazer cumprir os objetivos desejados:

- Homenagear e dignificar a pessoa idosa, promover o convívio entre os idosos e as demais gerações;

- Chamar a atenção para a existência de Fragilidades e desigualdades sociais e de saúde, geralmente resultantes da acumulação de défices ao longo da vida;

- Aproveitar as experiências e a aprendizagem ao longo da vida dos cidadãos da terceira idade e criar políticas proativas e adaptativas de trabalho, promover a proteção social e o acesso à cobertura universal de saúde;

- Promoção da relação Intergeracional;

- Refletir sobre as melhores práticas, lições e progressos para mudar as narrativas e estereótipos negativos que envolvem a velhice.

- Promover o respeito á dignidade, literacia e cidadania das pessoas idosas;

- Criar condições para que, sempre que possível, manter os idosos nas suas residências com dignidade e conforto.

Este mês é muito rico em dias internacionais com uma ligação muito forte com as pessoas idosas. Lembro o dia 2, o dia da não violência relacionada que nos transporta para a negligência e os maus tratos na pessoa idosa que é um problema de saúde e silenciosamente escondido. No dia 10 vamos comemorara o dia da saúde mental que nos leva á discussão quase inevitável das demências, das alterações cognitivas ligeiras, do esquecimento, da depressão e do delirium do idoso. No dia 16 celebramos segundo as recomendações da ONU. o dia mundial da alimentação e no dia 17 o dia internacional da irradicação da pobreza, que nos lembra que muito dos nossos idosos estão agora com fome e que neste grupo etário encontramos um elevado numero de idosos pobres e que muitos tem pouco mais do que 100 euros para viver durante todo o mês.

No dia 28, voltamos novamente a comemorar as pessoas idosas no dia em que se celebra o Dia Mundial da Terceira Idade. Este dia tem como objetivo chamar a atenção para a situação económica e social da população idosa. As pessoas mais idosas são as que passam mais tempo sozinhas. Muitos idosos vivem em carência económica e isolados dos seus familiares, ao abandono, em lares de terceira idade ou sozinhas em casa.

No dia 15, a ONU, comemora o dia mundial da mulher Rural, e aqui lembro a mulher rural idosa, fortemente vulnerável e frágil e risco elevado de pobreza, de desnutrição, de acesso aos cuidados de saúde, de solidão e de abandono.

Os idosos são pilares no seio da família, eles são responsáveis pela transmissão de valores e de conhecimentos aos mais novos, funcionando como um ponto de equilíbrio familiar, ajudando à criação dos mais novos da família. São os avós que cuidam e educam os nossos filhos, que tratam as nossas refeições, que nos ajudam a pagar algumas contas, são assim o pilar indispensável da nossa comunidade, voluntariamente.

Esta realidade básica, levou o Papa Francisco a instituir o Dia Mundial dos Avós e dos Idosos, que foi celebrado no quarto domingo de julho, este ano no dia 25. Contextualizou esta celebração no meio da Pandemia atual do Coronavírus, que trouxe perdas, solidão e outras tribulações aos idosos e por isso o tema escolhido pelo Santo Padre foi: "Eu estou contigo todos os dias" (cf. Mt 28,20).

Tendo como inspiração este tema, temos o mês para irmos junto das pessoas mais idosas, e dizer-lhes "que estamos contigo todos os dias". Vamos ter tempo para lhes agradecer e mostrar o nosso amor e também para nos lembrarmos das injustiças, nas iniquidades, do risco de desnutrição, do risco de pobreza, da solidão e do abandono dos nossos irmãos com mais idade, dos avós ou dos nossos pais

Médico, Investigador CINTESIS

Membro da Direção da SPGG (Sociedade Portuguesa de Geriatria e gerontologia)

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG