Vox recruta generais na reserva para encabeçar as suas listas

Já há pelo menos quatro militares reformados de alta patente que vão ser cabeças-de-lista às legislativas espanholas ou candidatos a autarquias pelo partido de direita liderado por Santiago Abascal.

São já quatro os generais na reserva que aceitaram encabeçar listas às eleições legislativas e autárquicas espanholas pelo partido Vox, uma força de extrema-direita que tem conquistado apoio eleitoral em Espanha nos últimos tempos. O jornal El País compara mesmo esta "militarização" à verificada no Brasil com Jair Bolsonaro, ele próprio um capitão na reserva, que colocou sete militares no seu governo.

Os quatro militares de alta patente que vão liderar listas do Vox são Alberto Asarta, candidato a deputado por Castellón; Agustín Rosety, por Cádis; Manuel Mestre, por Alicante; e Fulgencio Coll, este candidato a presidente da Câmara de Palma de Maiorca.

A mais recente contratação foi a de Alberto Asarta Cuevas, de 68 anos. Este general do exército é o único militar espanhol que esteve no comando da missão da ONU no Líbano (UNIFIL). Entre 2010 e 2012, dirigiu os 12 mil capacetes azuis que garantem o cessar-fogo entre Israel e os guerrilheiros do Hezbollah. Além do Líbano, Asarta Cuevas participou em missões internacionais em El Salvador, Bósnia e Iraque. Pela participação na defesa da base de Najaf, a maior batalha travada por soldados espanhóis em tempos de paz, foi condecorado com a Grande Cruz de Mérito Militar com emblema vermelho.

A apologia de Franco

Já aposentado, Asarta foi um dos signatários do manifesto apologético de Franco, lançado em agosto passado, como resultado da controvérsia sobre a exumação dos restos mortais. O manifesto, promovido pela Associação de Militares Espanhóis (AME), não só reivindicou a figura militar do ditador, mas justificou o golpe de 18 de julho de 1936 por estar em risco a "sobrevivência da nação espanhola".

O Vox, liderado por Santiago Abascal, também convenceu o tenente-general da Força Aérea Manuel Mestre, 67 anos, a ser o número 1 na lista por Alicante. O primeiro militar a alinhar com o Vox foi Fulgencio Coll, ex-chefe do Estado-Maior do Exército, que será apresentado à Câmara de Palma de Maiorca na lista conjunta entre o partido Abascal e o partido local Actúa. Coll, 70 anos, liderou o contingente espanhol no Iraque e foi o primeiro chefe da Unidade de Emergência Militar.

Embora o Vox esteja apostar nos militares, a presença mais sonante em listas políticas foi a do general Julio Rodriguez, ex-chefe do Estado-Maior da Defesa, em 2015, pelo Podemos. O PSOE também recrutou mas ficou por níveis mais baixos das Forças Armadas, como o comandante Zaida Cantera, porta-voz do PSOE na Comissão de Defesa, e Teresa Franco, cuja candidatura para a cidade de Murcia foi anunciada, embora ainda não seja ainda oficial.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG