Britânico condenado à prisão perpétua por abuso sexual de crianças na Malásia

Richard Huckle é "um predador sexual" que se aproveitava da sua atividade como voluntário de uma associação cristã para chegar às vítimas em bairros pobres

Um tribunal de Londres condenou hoje a prisão perpétua um britânico de 30 anos que admitiu 71 crimes de abuso sexual de crianças de bairros pobres de Kuala Lumpur, capital da Malásia.

Richard Huckle, descrito pelos investigadores como um predador sexual e que aproveitava a sua atividade como voluntário de uma associação cristã para chegar às vítimas, foi considerado culpado das 22 acusações que o levaram a julgamento no tribunal de Old Bailey.

Ao proferir a sentença, o juiz Peter Rook disse a Huckle que os seus atos "arruinaram as vidas das suas vítimas para sempre" e lhes provocaram "danos psicológicos graves".

Huckle admitiu 71 crimes de abuso sexual de crianças, mas a polícia suspeita que tenha cometido muitos mais entre 2006, quando chegou à Malásia, e dezembro de 2014, quando foi detido no aeroporto londrino de Gatwick.

"É um dos pedófilos mais determinados, mais manipuladores e mais maldosos que encontrei", afirmou em tribunal um responsável da agência nacional contra o crime (NCA), Matthew Long.

Numa carta lida pelo advogado de defesa ao tribunal, Huckle disse-se "cheio de remorsos".

A polícia estima que o britânico tenha cometido o primeiro abuso sexual de uma criança quando, aos 19 anos, esteve no Camboja.

Os abusos cometidos na Malásia foram primeiro descobertos por investigadores australianos no âmbito de um inquérito a um 'site' frequentado por abusadores de menores.

A investigação identificou formalmente 23 vítimas, a mais jovem das quais com pouco mais de seis meses.

Natural de Kent, no sul de Inglaterra, Huckle foi detido quando regressava ao Reino Unido para passar o Natal com a família. Na bagagem, a polícia encontrou um computador e uma câmara com mais de 20.000 imagens pedófilas encriptadas.

A pena de prisão perpétua hoje anunciada tem associada uma pena de segurança de um mínimo de 25 anos de prisão. Huckle já cumpriu 488 dias de prisão.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG