Vinho mais caro do mundo custa 25 mil euros

AurumRed é produzido na região espanhola de Cuenca e apenas chegam ao mercado 150 garrafas da série ouro.

O vinho mais caro do mundo é espanhol e cada garrafa custa 25 mil euros, valor que o seu criador diz ser estabelecido pelo próprio mercado, informa o jornal El País esta sexta-feira.

Submetido a técnicas de ozono e produzido desde 2009 em Las Pedroñeras (Cuenca), a partir de 250 videiras centenárias das castas Cencibel ou Tempranillo (conhecidas como Aragonez ou Tinta Roriz), Cabernet Sauvignon e Sauvignon Blanc, o enólogo Hilário Garcia garante que o AurumRed "é um vinho único, diferente, emocional e com a garantia de que nunca estará avinagrado quando for aberto, mesmo ao fim de vários anos".

O segredo parece estar no recurso ao ozono. "Comprovei que se podiam aplicar este tipo de técnicas, usadas para o tratamento de doenças ou em aplicações veterinárias, nas plantas e nas vinhas para controlar as pragas", explica Hilário Garcia.

Da série ouro são produzidas apenas 300 garrafas a 25 mil euros cada, com Hilário Garcia a revelar que é o mercado a definir esse preço. Prova disso, indica o enólogo, é que nos EUA estão à venda por 45 mil dólares (mais de 38 mil euros).

Só metade daquela produção chega ao mercado, com as restantes 150 garrafas a serem guardadas. No caso da série prata, a produção é de 6000 garrafas a 1200 euros cada uma.

Há garrafas de vinho que foram vendidas a preços mais altos, mas em leilão.

Outras Notícias

Outros conteúdos GMG