Emirates abre a porta a aviões sem janelas

Ver através da janela o cenário que quiser? A companhia aérea dos Emirados Árabes Unidos vai apostar em janelas virtuais

A Emirates apresentou a nova suíte de primeira classe no Boeing 777-300ER, com janelas virtuais. A companhia aérea diz que esta novidade abre caminho à remoção de todas as janelas de aviões futuros, tornando-os mais leves, mais rápidos e mais económicos.

"Imagine agora uma fuselagem sem janelas no exterior, mas que efetivamente tem janelas dentro do aparelho", diz o responsável pela Emirates à BBC.

E continua: "Agora é possível ter uma estrutura sem fraquezas estruturais por causa das janelas. Para além de que, as aeronaves são mais leves, voam mais rápido, queimam muito menos combustível e voam mais alto", disse o presidente da companhia aérea, Tim Clark, disse à BBC.

Para além disso, a ideia é permitir ao passageiro ver o que quiser através das janelas de um avião, através do recurso a câmaras de fibra ótica que projetam imagens de fora para dentro da aeronave.

"A qualidade das imagens é tão boa, é melhor do que a vista natural", afirma o responsável da companhia aérea.

Apesar de a ideia de ter um avião sem janelas poder ser atrativa, a verdade é que esta levanta algumas questões. A primeira, é a de que as janelas do avião são um elemento importante para os procedimentos de segurança em qualquer voo.

Isso mesmo confirmou à BBC Graham Braithwaite, especialista em segurança de aviação da Cranfield University.

"Ser capaz de visualizar o exterior de dentro da aeronave é muito importante numa situação de emergência, especialmente quando se trata de uma evacuação. Os comissários de bordo tem um procedimento de segurança que requer a confirmação de que, por exemplo, não existe um incêndio no exterior antes de abrir uma porta e começar uma evacuação."

Depois, há o facto de voar ser um pouco "claustrofóbico" e da "viagem causar alguma ansiedade". O mesmo especialista admite que o principal obstáculo a ser superado numa aeronave sem janelas poderá ser a perceção dos viajantes.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG