Carne de vaca e frango desapareceram dos talhos na Venezuela após ordem de baixar preços

Comerciantes afirmam que os valores impostos pelo regime de Maduro são inferiores ao preço que eles próprios compraram os produtos

Centenas de talhos estavam hoje sem carne de vaca e de frango, em várias localidades na Venezuela, dias depois de as autoridades venezuelanas fiscalizarem vários estabelecimentos comerciais e obrigarem os proprietários a baixar os preços.

"Não podemos vender para perder. O preço que estão a querer que vendamos é inferior ao que comprámos e temos que pagar empregados, aluguer e luz. A economia está mal, a inflação está pelas nuvens e querem responsabilizar os carniceiros pelos preços", explicou um comerciante à agência Lusa.

Pedindo o anonimato por temer ser vítimas de represálias, a mesma fonte explicou que "esta semana as empresas de distribuição não enviaram carne aos talhos, porque também querem obrigar-lhes a baixar os preços".

A falta de carne de vaca e de frango está a "causar incómodos" nas pessoas que, além de se queixarem dos altos preços, não podem usar aqueles produtos.

"É verdade, está caro, mas com meio quilograma de carne moída é possível preparar esparguete para várias pessoas. Eu prefiro o frango, mas não rende tanto como a carne", disse uma doméstica à Lusa.

Yeniffer Arteaga, 50 anos, aproveitou para referir que mesmo um prato de esparguete sai caro, porque a carne moída de mais baixa qualidade está a 70 mil bolívares (5,31 euros à taxa oficial) o quilograma e meio quilograma de massa ronda os 24 mil bolívares (1,82 euros), para o salário mínimo de 325.544,oo bolívares (24,71 euros), já com todos os subsídios incluídos.

"Lá em casa, todos têm que trabalhar para podermos levar um prato de comida à boca e sem luxos ou requintes", disse, precisando que o marido e os dois filhos trabalham e ela mesma faz costura, para além dos serviços da casa.

Entretanto, a Superintendência para a Defesa dos Direitos Socioeconómicos (Sundde), supervisionou 611 distribuidoras de carne, nos últimos 10 dias.

As inspeções levaram à venda supervisionada de quase 95 mil quilogramas de carne de vaca e mais de 600 mil quilogramas de frango, a preços impostos pelas autoridades.

Alguns talhos estão a vender apenas chouriço e patas de porco.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG