Polícia confirma cinco mortos em tiroteio num jornal nos EUA

Primeiro balanço do ataque ao fim da noite. O atirador está detido. A polícia descobriu também um engenho explosivo no edifício

Um tiroteio na redação do jornal The Capital Gazette, em Annapolis, capital de Maryland, fez esta quinta-feira cinco mortos, segundo o chefe de polícia interino Bill Krampf. O atirador terá usado uma caçadeira - e não uma shotgun como inicialmente tinha sido avançado - no ataque e já está detido para interrogatório.

Ao que tudo indica, o atirador será um homem caucasiano com uma idade a rondar os 20 anos, que foi detido sem identificação e que não se mostrou muito cooperante com a polícia. Apesar disso, as autoridades já conhecem a identidade do alegado autor do ataque, que ainda não foi tornada pública.

As forças da autoridade encontraram o suspeito escondido debaixo de uma mesa na redação, disse Steve Schuh, executivo do condado de Anne Arundel, à CNN. A mesma fonte garante não poder afirmar que o ataque visava unicamente a redação do The Capital Gazette.

A polícia confirmou cinco vítimas mortais. O número de feridos ainda está por apurar. "Há cinco vítimas mortais que tenhamos conhecimento", disse Krampf em conferência de imprensa.

Segundo a CNN, a polícia retirou do prédio o que poderia ter sido um explosivo.

"Temos membros do esquadrão antibomba em cena", disse o chefe da polícia de Anne Arundel, Krampf, aos jornalistas no local, adiantando que "não esperam encontrar mais dispositivos explosivos".

Segundo a BBC , o atirador transportava com ele numa mochila "granadas falsas e bombas de fumo".

Um dos jornalistas da Gazette publicou vários tweets sobre o tiroteio. Conta os momentos de terror que viveu e adianta que pode haver mortos.

Phil Davis escreveu que um atirador "atravessou a porta de vidro do escritório e abriu fogo contra vários funcionários".

"Não posso dizer muito mais e não quero declarar ninguém morto, mas está mau", disse, acrescentando:

"Não há nada mais aterrorizante do que ouvir várias pessoas a ser baleadas enquanto estamos escondidos debaixo da nossa mesa e depois ouvir o atirador recarregar a arma".

O próprio Capital Gazette fez a cobertura do ataque às suas instalações, tanto no seu site (atualmente indisponível para leitores europeus por causa das novas normas de proteção de dados) como pelas redes sociais.

Jimmy DeButts, editor da Capital Gazette, usou o Twitter para afirmar que estava "arrasado e de coração partido" e explicar por que é que ele e os colegas fazem os trabalhos que fazem.

"Devastado e de coração partido. Eu não estou em posição de falar, apenas repórteres @capgaznews e editores dão tudo o que têm todos os dias. Não há 40 horas semanais, não há grandes pagamentos - apenas uma paixão por contar as histórias da nossa comunidade ", escreveu.

O Presidente norte-americano, Donald Trump, reagiu ao incidente pelo Twitter, dizendo que os seus "pensamentos e orações" estavam com as famílias das vítimas:

Dois dos feridos foram transportados para o Centro Médico de Anne Arundel, em Annapoliso, enquanto um terceiro foi levado para o Centro Médico da Universidade de Maryland. Nenhuma informação sobre a condição dos pacientes foi adiantada.

O capitão da polícia Russell Davies disse à NBC News que a polícia tinha recebido um telefonema a avisar do ataque às 14h34 (hora local).

Ocorrido na morada 888 Bestgate Road, a polícia continua a pedir precaução a quem estiver na área.

"Há muitas coisas secundárias que temos de investigar também. Se há outros atiradores, pode haver mais do que um, se há bombas. Há uma quantidade de coisas que temos de verificar."

O governador de Maryland, Larry Hogan, publicou no Twitter ter ficado "absolutamente arrasado ao saber da tragédia em Annapolis", tendo pedido para as pessoas se manterem afastadas da cena do tiroteio.

Mais de 170 pessoas estavam no prédio durante o tiroteio.

A polícia de Nova Iorque e de Los Angeles reforçou a segurança junto às redações nessas cidades.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG