"Vais arrepender-te dos próximos quatro anos". Anonymous ameaçam Trump

Hackers disseram que Trump tem "laços financeiros e pessoais com mafiosos russos, traficantes de crianças e branqueadores de capitais"

O grupo de hackers Anonymous ameaçou Donald Trump pelo Twitter esta segunda-feira. "Vais arrepender-te dos próximos quatro anos", escreveu o grupo numa das contas que mais usa no Twitter.

Os Anonymous aproveitaram uma publicação no Twitter em que Donald Trump criticava o diretor da CIA, John Brennan, para o acusarem de ter "laços financeiros e pessoais com mafiosos russos, traficantes de crianças e branqueadores de capitais".

Numa série de comentários à publicação de Trump, os Anonymous disseram que o presidente estava "implicado em porcarias pesadas" e relembraram que "já não estamos nos anos 80 e que a informação não desaparece, está por aí".

A insinuação de que os Anonymous podem ter e revelar informações secretas sobre Donald Trump causou um grande reboliço nas redes sociais.

O grupo disse que as pessoas devem reagir e fazer algo com as informações que já estão disponíveis sobre Trump em vez de esperar que os piratas informáticos as salvem, como sempre.

"Palavras dos democratas e apoiantes de Trump nos últimos 2 meses: Anonymous, por favor, ajudem-nos. Vocês são a nossa única esperança. Ataquem [inserir nome aqui]", escreveu o grupo. "'Vão atrás deles', 'Sejam melhores', 'Salvem-nos, por favor'. Não, vão vocês atrás dele. É o vosso dever como adultos. Nós demos-vos os recursos, usem-nos"

O grupo de piratas informáticos mais famoso do mundo aproveitou também o dia de ontem para deixar uma nota ao público em que dizia que não é o "exército pessoal" de ninguém.

"Uma mensagem àqueles que querem a nossa ajuda contra o Trump: o nosso alvo não é apenas o Trump mas sim o fascismo no mundo inteiro", escreveu o grupo.

"Nós não somos o vosso exército pessoal. Não estamos aqui para servir os vossos interesses políticos. Não somos patriotas nem nos interessamos pelo vosso Estado. Nós interessamo-nos pelos direitos humanos, a dignidade e a liberdade de existir em segurança. Não queremos saber das vossas necessidades políticas nem do vosso governo falhado", concluiu o grupo.

Donald Trump não respondeu ao comentário dos Anonymous e continuou a fazer publicações no Twitter sobre outros assuntos.

Os Anonymous já tinham declarado "guerra total" contra Trump em março do ano passado, altura em que prometeram lançar uma operação contra o republicano que iria "chocar todo o mundo".

O grupo acabou por não tomar nenhuma atitude relevante devido a cisões internas, segundo a Vice News, que entrevistou um dos piratas. Alguns membros que apoiavam Trump não concordaram com as decisões tomadas em grupo e acabou por não acontecer nenhum ataque informático.

Não é claro o que terá motivado a decisão dos Anonymous de ameaçar Donald Trump novamente.

Outras Notícias

Outros conteúdos GMG