Vai haver uma corrida entre um caça e um drone de combate. E Elon Musk aposta no drone

O projeto, que se irá realizar em julho de 2021, poderá ter como objetivo a construção de um avião de combate não tripulado que use Inteligência Artificial.

Para o tenente coronel Jack Shanahan, líder do Joint Artifial Intelligence Center no Pentágono, a ideia de organizar uma corrida entre um caça com um piloto aos comando e um drone de combate (ou seja, um avião sem piloto) é "muito, muito ousada". Mas é isso mesmo que deverá acontecer em julho de 2021, num projeto que poderá ter como objetivo final a construção de um avião de combate não tripulado que use Inteligência Artificial.

Comparado pela revista Air Force Magazine a uma ida à Lua à escala da Força Aérea, a corrida vai pôr frente a frente um "sistema autónomo contra um sistema controlado por um humano", como explicou Shanahan, citado pela BBC, num briefing há dias no Mitchell Institute for Aerospace Studies. Por esta altura, explicou o tenente coronel, o teste não deverá recorrer a muita inteligência artificial, mas no futuro "humanos e máquina a trabalhar em conjunto vão fazer a diferença".

A primeira vez que este projeto foi falado em público foi em 2018 e, na altura, a ideia era o desenvolvimento de um caça sem piloto. Hoje, Shanahan preferiu não dar pormenores sobre o assunto, mas sempre foi dizendo à Air Force Magazine que "sistemas de inteligência artificial podem ser usados de outras formas".

Mais do que um caça que funcionaria de forma autónoma, a ideia seria criar uma espécie de esquadrão de drones que estariam sob controlo de um piloto. Um projeto militar dos EUA chamado Skyborg explorará como o piloto de um avião de combate poderia controlar outros drones - que agiriam como seus "asas".

"O F-35 não tinha qualquer hipótese".

Com a Força Aérea americana a procurar formas de desenvolver a Inteligência Artificial para melhorar a sua capacidade de resposta, Elon Musk não podia deixar de entrar na discussão. Foi o que o patrão da Tesla, cuja Space X em parceria com a NASA acaba de enviar dois astronautas para a Estação Espacial Internacional, no inicio do ano quando, numa conferência militar em Orlando na Florida, garantiu que "a época dos caças acabou".

Para Musk, numa competição entre um caça F-35 e um drone, "o F-35 não tinha qualquer hipótese".

Mas se a experiência dos carros autónomos serve de exemplo para um caça autónomo, Shanahan lembrou que apesar de dez empresas já terem gasto mais de de 17 mil milhões de dólares para desenvolver um veículo de nível 4 - ou seja, capaz de conduzir-se sozinho sem necessitar de qualquer atenção humana - este ainda não é uma realidade.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG