Usar meias berrantes para homenagear Bush pai

Habitantes de Houston foram incentivados a usar meias vistosas num memorial em honra do antigo presidente norte-americano, que fazia dessa peça de vestuário uma imagem de marca

"Sou um autoproclamado homem das meias. Quanto mais berrantes e com padrões loucos, melhor". Em 2014, George H.W. Bush deixava escrito para a posteridade, num email de angariação de fundos do Comité Nacional Republicano, o seu amor por uma peça de vestuário que já lhe valera a pouco óbvia imagem de ícone da moda. Um amor que levou centenas de pessoas a usarem meias berrantes numa cerimónia em Houston de homenagem ao antigo presidente norte-americano, que morreu na sexta-feira aos 94 anos.

"Quando me pediram para vos escrever em nome do Comité Nacional Republicano, eu respondi que o faria de bom grado, mas com uma condição: a minha carta tinha de envolver meias", explicou em 2014 George Bush, que acabou por dar a cara por uma campanha em que quem desse 35 dólares ao CNR (o Republican National Committee, em inglês) recebia em troca umas hiper-coloridas meias com o símbolo do partido, o elefante.

Na segunda à noite (em Houston são menos seis horas do que em Lisboa), entre luzes vermelhas, azuis e brancas a recriar a bandeira americana, os organizadores do memorial em frente à câmara de Houston quiseram homenagear aquela que ficou conhecida como uma imagem de marca do antigo presidente e pediram aos admiradores de Bush 'pai' que usassem meias 'vistosas'.

Um dos que disse 'presente' foi Michael Meaux, que trabalhou na administração de Bush 'filho', e que usou orgulhosamente umas meias cor-de-rosa choque que o próprio contou já ter há muitos anos e que nunca tinha tido oportunidade de mostrar em público. Meaux, que vive em Houston, cidade com grandes ligações sentimentais ao antigo governante, recordou Bush como "o último presidente cavalheiro que os EUA tiveram".

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG