"Um milagre absoluto". Leia e Caroline foram encontradas em 44 horas

As duas irmãs, de cinco e oito anos, foram encontradas - 44 horas depois de serem dadas como desaparecidas - por bombeiros que seguiram as pegadas das suas botas de borracha cor-de-rosa.

As duas raparigas desapareceram na sexta-feira e sobreviveram a 44 horas na região acidentada e selvagem do norte da Califórnia. As irmãs Leia e Caroline Carrico, de cinco e oito anos, foram encontradas desidratadas e geladas no domingo, a cerca de um quilómetro de sua casa, na pequena comunidade de Benbow, segundo as autoridades, citadas pelo The Guardian.

As raparigas sobreviveram com barras de granola e com o treino de sobrevivência que adquiriram na organização juvenil 4-H, criado pelo Instituto Nacional da Alimentação e Agricultura do Departamento de Agricultura norte-americano.

"Isto é um milagre absoluto", afirmou o xerife do distrito de Humboldt, William Honsal. "Este é território acidentado, e o ambiente é severo. É extraordinário como estiveram ali 44 horas".

No encalço das duas irmãs estavam cerca de uma dezena de agências, incluindo a guarda nacional, que usou vários meios, entre eles helicópteros e cães pisteiros. Os bombeiros que as encontraram seguiram as pegadas da suas botas de borracha cor-de-rosa e os papéis que envolviam as barras de granola.

Exclusivos