O assassinato de uma jovem de 20 anos está a abalar a Islândia 

O corpo de Birna Brjansdottir foi descoberto numa praia a sul da capital, depois de buscas que envolveram mais de 725 voluntários

Com as mais baixas taxas de criminalidade do mundo e menos de dois homicídios por ano, em média, a Islândia foi abalada por um crime que chocou o país. Uma jovem de 20 anos que estava desaparecida há oito dias foi encontrada morta numa praia.

O corpo de Birna Brjansdottir foi descoberto numa praia a sul da capital deste país de 330 mil pessoas, Reiquiavique, depois de buscas que envolveram mais de 725 voluntários. Embora ainda não tenha sido possível determinar a causa da morte, a polícia está a tratar o caso como um homicídio e dois marinheiros gronelandeses, de 25 e 30 anos, foram detidos.

A jovem estava desaparecida desde 14 de janeiro, depois de uma saída à noite. As últimas imagens disponíveis são de câmaras de videovigilância e mostram a jovem a andar sozinha na rua e a comprar comida, por voltas das cinco da manhã.

Depois destas imagens, quase não havia rasto da jovem. Mais tarde, as autoridades encontraram os sapatos de Birna Brjansdottir no porto de Hafnarfjordur, a sul de Reiquiavique, e viraram as atenções para um carro vermelho (de aluguer) que tinha sido visto na capital e depois no porto, por volta das 6.30. Vestígios de sangue da jovem foram encontrados no carro.

Os indícios levaram a polícia a voar até ao navio Polar Nanoq para interrogar a tripulação, já que o barco estava ancorado no porto na noite em que Birna desapareceu e partiu horas depois. O navio acabou por voltar à Islândia e dois marinheiros foram detidos.

O caso foi acompanhado com muita atenção num país que não está habituado a casos destes - a polícia islandesa matou uma pessoa pela primeira vez na história da instituição em 2013.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG