Mike Pompeo faz post enigmático. Um cão a brincar com um peluche ou um insulto da América à China?

Secretário de Estado americano Mike Pompeo postou na sua conta pessoal no Twitter uma foto da cadela com a legenda: "Mercer e todos os seus brinquedos favoritos". E a especulação começou.

Mensagens do Dia do Pai, celebrações do 4 de Julho, Dia da Independência dos EUA, e até as almôndegas preferidos do pai. São muitas as mensagens que Mike Pompeo coloca na sua conta pessoal no Twitter. Mas foi o último post do secretário de Estado de Donald Trump aquele que mais dúvidas e teorias gerou entre os internautas. Na terça-feira à noite Pompeo postou uma foto da sua cadela com a seguinte mensagem: "Mercer e todos os seus brinquedos favoritos".

Até aí nada de mais, não fosse o brinquedo em grande destaque na imagem ser um peluche do Winnie the Pooh. Uma escolha que logo levou muitos a verem naquela foto um insulto (pouco?) velado à China.

Tudo porque Winnie the Pooh é a alcunha que os detratores dão ao líder chinês, Xi Jinping. E de tal forma as autoridades chinesas sabem disso que qualquer referência ao ursinho amarelo e grande fã de mel estão há muito proibidas nas redes sociais chinesas.

As autoridades chinesas costumam censurar qualquer comentário crítico ou qualquer forma de sátira em relação aos líderes do Partido Comunista. Um facto que levou os internautas chineses a desenvolver formas astuciosas de contornar essa censura. Em 2013, as imagens a comparar a forma corporal de Xi Jinping ao ursinho barrigudo começaram a circular inclusive para fora da China.

Uma vez que o recurso à personagem criada nos anos 1920 pelo britânico A. A. Milne torna mais difícil para os censures bloquearem conteúdos inocentes sem caírem no ridículo, a alcunha e a imagem depressa ganharam adeptos.

Basta uma busca por Winnie the Pooh no microblogue Sina Weibo para perceber que apenas surgem sites aprovados pelo governo de Pequim ou contas oficiais. E o internauta recebe ainda uma mensagem a alertar que alguns resultados foram omitidos.

As autoridades chinesas proibiram ainda o jogo taiwanês Devotion em 2019 por este conter uma referência a ligar Xi a Winnie.

A questão que se levanta aqui é se Mike Pompeo colocou inocentemente a foto de Mercer rodeada dos seus brinquedos ou se o secretário de Estado americano, o responsável pela diplomacia do país, quis mesmo insultar o líder chinês. Isto num momento em que EUA e China estão envolvidos em mais um momento de alta tensão ligados agora à luta contra a pandemia de covid e à influência de Pequim na Organização Mundial de Saúde, que levou Trump a retirar o seu país da agência da ONU.

A própria imagem do cão pode não ser inocente, uma vez que a palavra é usada na China para se referir a países agressivos e selvagens. O próprio Pompeo, tal como os EUA já foram chamados "cães" pelos chineses.

Claro que Twitter se encheu logo de reações à foto de Mercer e os seus brinquedos, com muitos utilizadores a comentar que Pompeo está "a brincar com a China". Reações que não chegarão aos internautas chineses, uma vez que o Twitter está bloqueado no país.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG