Trump vai deportar dois ou três milhões de ilegais

O presidente eleito admite uma vedação em vez de um muro em algumas zonas da fronteira com México

Donald Trump admitiu, numa entrevista que será emitida hoje na CBS, que vai mandar deportar no imediato entre dois a três milhões de imigrantes ilegais. Donald Trump reafirmou ao programa "60 Minutes" a intenção de expulsar os imigrantes ilegais e de construir um muro na fronteira com o México, embora admita que em certas zonas possa ser uma vedação.

Donald Trump concretizou ainda os seus planos no que respeita à imigração. "O que vamos fazer é pegar nas pessoas que são criminosas e têm registo criminal, membros de gangues, traficantes de droga, muitas dessas pessoas, provavelmente dois milhões, podem até ser três milhões, vamos tirá-las do nosso país ou vamos prendê-las", disse o presidente eleito.

Depois disso, "quando a fronteira estiver segura e tudo estiver normalizado", explicou, os serviços de imigração irão começar a fazer uma análise relativamente aos outros imigrantes nos Estados Unidos.

Questionado sobre a possibilidade de existir uma vedação em vez de um muro na fronteira, Trump admitiu essa hipótese, mas só para certas zonas.

"Em certas zonas um muro é mais apropriado. Sou muito bom nisto, chama-se construção, pode haver algumas cercas", afirmou na primeira grande entrevista após a vitória nas presidenciais de dia 8, segundo os excertos divulgados pela CBS.

Na entrevista, que inclui segmentos com a mulher, Melanie, e os filhos, Trump revelou que ganhou 100 mil seguidores no sábado nas redes sociais Facebook, Twitter e Instagram, e explicou por que razão usa tanto o Twitter, quando foi questionado se iria "continuar a disparar o que lhe passava pela cabeça" quando chegar à Casa Branca.

"Vou ser muito comedido, se o usar sequer", respondeu, referindo-se ao Twitter. No entanto, "é uma forma moderna de comunicação, não há nada que ter vergonha. Juntando o Twitter, o Facebook e o Instagram, tenho 28 milhões de pessoas, dá para passar a mensagem. Quando alguém escreve uma má história sobre mim, ou a história é imprecisa, tenho um meio de ripostar".

"O facto de [estas redes sociais] terem tanto poder ajudou-me a ganhar as corridas nas quais eles [a campanha democrata] gastaram mais dinheiro do que eu", disse ainda Trump.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG