Trump perguntou diretamente a Putin sobre ingerência russa nas eleições

Líder russo negou qualquer envolvimento, disse o secretário de Estado norte-americano

Donald Trump perguntou diretamente a Vladimir Putin sobre uma possível ingerência russa nas últimas eleições norte-americanas, no início da reunião entre ambos, à margem da cimeira do G20.

Rex Tillerson, secretário de Estado norte-americano, explicou aos jornalistas que o Presidente dos EUA abordou o assunto durante a reunião, originalmente marcada para 30 minutos, e que durou cerca de duas horas e 15 minutos.

Os dois líderes - reunidos esta sexta-feira presencialmente pela primeira vez - tiveram "uma conversa muito longa e muito vigorosa" sobre a eventual ingerência russa nas eleições presidenciais de novembro do ano passado, disse o secretário de Estado norte-americano, Rex Tillerson, em declarações à comunicação social, afirmando que estas alegadas interferências constituem "um obstáculo significativo" nas relações entre os dois países.

Do lado de Moscovo, o ministro dos Negócios Estrangeiros russo, Serguei Lavrov, assegurou que Trump "aceitou" as garantias dadas por Putin que a Rússia não interferiu nas presidenciais americanas.

"O Presidente Trump disse que entendeu as declarações claras de Putin que afirmou que não é verdade e que as autoridades russas não interferiram, e ele aceitou essas declarações", disse Lavrov, aos jornalistas, após o encontro.

Realizado à margem da cimeira dos 20 países mais industrializados e emergentes (G20), a decorrer até sábado na cidade alemã de Hamburgo.

Segundo Rex Tillerson, existiu uma "química positiva" entre os dois Presidentes.

"O encontro foi muito construtivo, a ligação entre os dois líderes ocorreu muito rapidamente", referiu o chefe da diplomacia americana.

"Existe claramente uma química positiva entre eles", concluiu Tillerson.

Os dois líderes já tinham falado ao telefone em quatro ocasiões após a chegada de Donald Trump à Casa Branca, em janeiro deste ano, mas nunca tinham tido um encontro presencial.

Este encontro era aguardado com grande expectativa devido à crescente tensão que tem marcado nos últimos meses a relação Washington/Moscovo.

O Presidente dos EUA e o líder russo estão "agora focados em que como se pode andar para a frente a partir de agora", diz Tillerson.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG