Trump pondera pôr as forças armadas a pagar o muro com o México

Donald Trump tem falado nesta hipótese depois de o orçamento do estado ter deixado a construção do muro de fora

Donald Trump pondera pagar o muro na fronteira com o México recorrendo ao orçamento das forças armadas, avança a CNN. A questão terá sido falada numa reunião privada com o presidente da Câmara dos Representantes, Paul Ryan, enquanto os dois reviam o orçamento federal aprovado na semana passada.

A procura de alternativas prende-se com o facto de o orçamento federal não ter incluído nenhum financiamento para a construção do muro, que presidente republicano prometeu durante a campanha eleitoral. Por enquanto, ainda não é possível determinar quão séria é esta intenção de Donald Trump, mas o estudo desta hipótese parece explicar para já o tweet feito pelo próprio no domingo passado. No texto, Trump escreveu: "Construir o MURO através de M!" Suspeita-se que o M seja de military, ou seja, forças armadas na tradução para português.

Se Trump decidir ir para a frente com esta ideia, é de esperar oposição do Congresso. A porta-voz da Casa Branca, Sarah Sanders foi confrontada com esta hipótese, mas não adiantou pormenores. "Não posso entrar em detalhes neste momento, mas posso garantir que o muro continua a ser construído, e vamos continuar a avançar nesse processo."

Mas na verdade, nenhum novo troço do muro foi para já construído. Os fundos alocados a esta obra servem apenas para reparar a vedação existente ou colocar nova vedação, refere a CNN.

O orçamento do estado apenas afetou 1,2 mil milhões de euros para o muro - estimativas apontam para que uma obra da magnitude anunciada pelo presidente dos EUA custasse cerca de 8,5 mil milhões de euros -, o que obriga Trump a procurar alternativas de financiamento. Para justificar que seja o Pentágono a pagar a fatura, Donald Trump estará a evocar questões de segurança nacional para a construção do muro nos 3144 quilómetros que separa os EUA do México, como refere o Washington Post.

Um conselheiro sénior da administração garante que outras opções estão em cima da mesa. E que pode passar por aumentar as taxas que as pessoas pagam quando cruzam a fronteira para os EUA.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG