Trump diz que não gosta de usar o Twitter, mas tem de "contrariar" imprensa "desonesta"

Presidente eleito dos EUA diz que o Twitter é a "única maneira" de contrariar a imprensa

O Presidente eleito dos Estados Unidos, Donald Trump, afirmou hoje que continuará a usar a rede social Twitter a partir da Casa Branca, o que alegou ser a sua única forma de "contrariar" a imprensa "desonesta".

"Não gosto de 'tuítar'. Há outras coisas que podia estar a fazer", disse Trump, numa entrevista à cadeia conservadora Fox.

Mas Trump, que assumirá a Presidência dos Estados Unidos na próxima sexta-feira, defendeu que tem, perante si, meios de comunicação "muito desonestos" e que o Twitter é a "única maneira" de "contrariar" a imprensa.

Já na campanha eleitoral, Trump utilizou a sua conta no Twitter para fazer anúncios, criticar a imprensa ou atacar os seus adversários.

Hoje, o Presidente eleito acusou, numa série de 'tuítes', a cadeia NBP de ser "totalmente tendenciosa" por não relacionar os anúncios de empresas como a Ford ou a GM de criar novos empregos nos EUA com a pressão que Trump fez para que essas companhias invistam no país.

"Perguntem aos principais executivos dessas empresas por factos reais. Voltaram [a investir nos Estados Unidos] por minha causa", sublinhou, numa mensagem no Twitter.

Durante a entrevista à Fox, Trump foi questionado sobre a decisão de meia centena de congressistas democratas de não participar na cerimónia de posse, esta sexta-feira, em protesto pelas suas políticas exclusivas e as críticas ao ícone dos direitos civis John Lewis, legislador deste partido.

Sobre essas ausências, Trump disse não estar preocupado porque necessitam "desesperadamente" de lugares para outros convidados.

O magnata acrescentou ainda que muitas das celebridades que disseram que não irão à sua posse "nunca foram convidadas".

"Não quero as celebridades, quero o povo", salientou.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG