Trump defende que os Estados Unidos devem expandir o arsenal nuclear

Presidente eleito dos EUA voltou a usar o Twitter

Donald Trump, o presidente eleito dos Estados Unidos, defendeu a expansão do arsenal nuclear dos EUA até que o mundo "ganhe bom senso".

"Os Estados Unidos têm de fortalecer e expandir fortemente a sua capacidade nuclear até que o mundo ganhe bom senso", escreveu Trump numa mensagem partilhada no Twitter esta quinta-feira, sem acrescentar outros detalhes sobre o seu ponto de vista em relação a este eventual reforço.

A imprensa internacional está a aguardar resposta da equipa de transição do presidente eleito para um esclarecimento sobre o assunto em causa. Esta mensagem poderá ser um sinal de que Trump estará disponível para investir na modernização do arsenal nuclear do país - grande parte deverá chegar ao final da sua vida útil durante a próxima década. Mantê-lo e modernizá-lo deverá significar um investimento superior a um bilião de dólares ao longo dos próximos 30 anos.

De imediato, muitos utilizadores do Twitter comentaram a mensagem de Trump, que tem recorrido à rede de 'microblogging' para expressar opiniões, pontos de vista e princípios que o nortearão na presidência americana.

Houve quem respondesse que, para o mundo ganhar bom senso, a destituição de Trump seria o começo, e os mais dramáticos escreveram mesmo: "vamos todos morrer".

A comunicação de Trump no Twitter surge horas depois de o presidente russo, Vladimir Putin, ter declarado que a Rússia precisa de reforçar o potencial do seu armamento nuclear.

De acordo com números da associação para o controlo de armas dos EUA, citados pela BBC, os Estados Unidos da América têm 7100 armas nucleares, ao passo que a Rússia tem 7300.

Trump, que está num resort no estado da Florida para passar o Natal, não acrescentou, porém, detalhes dos motivos que o levaram a defender a expansão do arsenal nuclear americano no Twitter. Na passada quarta-feira, o presidente eleito dos EUA reuniu-se com uma dúzia de oficiais do Pentágono responsáveis pelos programas de aquisição de armamento.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG