Três deputadas conservadoras juntam-se ao Grupo Independente que desertou do Labour

As deputadas Anna Soubry, Sarah Wollaston e Heide Allen acusam Theresa May de levar o Partido Conservador a adotar as políticas do Ukip e defender um Brexit sem acordo. Juntam-se aos sete trabalhistas que deixaram o Labour na segunda-feira e a um oitavo que se demitiu esta quarta.

O Grupo Independente, criado na segunda-feira por sete antigos deputados do Labour, tem quatro novos membros. Mas só um, Joan Ryan, deixou também o partido de Jeremy Corbyn. Três novas deputadas do grupo, Anna Soubry, Sarah Wollaston e Heide Allen, saíram do Partido Conservador de Theresa May, descontentes com o rumo dos Tories em relação ao Brexit.

As deputadas acusam o partido de adotar as políticas dos independentistas do Ukip e defender um Brexit sem acordo. "Um momentum roxo [a cor do Ukip] está a englobar o Partido Conservador, tanto quanto a esquerda dura foi autorizada a consumir e minar totalmente o Partido Trabalhista", escreveram na carta de demissão que enviaram a May e que foi publicada no Twitter de Soubry.

"O Brexit redefiniu o Partido Conservador, desfazendo todos os esforços de o modernizar. Tem havido um fracasso em resistir à linha dura do ERG [o grupo eurocético liderado por Jacob Rees-Mogg], que opera abertamente como um partido dentro do partido, com o seu próprio líder e política", indicaram.

"Tentámos consistentemente e durante algum tempo manter o partido próximo do centro da política britânica. Garantiu-nos, quando se candidatou à liderança, que essa era a sua intenção. Não mudámos, o Partido Conservador mudou e já não reflete os valores e crenças que partilhamos com milhões de pessoas no Reino Unido", acrescentaram na carta de demissão, que considera "desastrosa" a forma como os Tories lideram com o Brexit.

As novas deputadas já se juntaram ao Grupo Independente no Parlamento, para a sessão semanal das perguntas à primeira-ministra.

A primeira-ministra, que esta tarde volta a Bruxelas para novas negociações, já reagiu às deserções: "Estou triste com esta decisão. Estas são pessoas que serviram o nosso partido durante muitos anos e agradeço-lhe por isso. Claro que a pertença do Reino Unido à União Europeia tem sido fonte de desacordo tanto no nosso partido como no nosso país há muito tempo. Acabar com essa parceria nunca seria fácil", segundo um comunicado.

"Mas ao cumprir as promessas do nosso manifesto e implementar a decisão do povo britânico estamos a fazer o correto pelo nosso país. E, ao fazê-lo, podemos seguir em frente para um futuro mais brilhante", acrescentou May. "Estou determinada que, sob a minha liderança, o Partido Conservador irá sempre oferecer uma política decente, moderada e patriótica que as pessoas deste país merecem", concluiu.

Na segunda-feira, sete deputados do Labour deixaram o partido por discordarem das políticas do líder trabalhista, Jeremy Corbyn, em relação ao Brexit e do antissemitismo. Esta quarta-feira, mais outra deputada do Labour aderiu ao Grupo Independente, restando saber quantos mais os podem seguir.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG