Seis imigrantes africanos atingidos a tiro em cidade italiana

Jovem italiano de 28 anos saiu do carro com a bandeira tricolor sobre os ombros e fez a saudação fascista, quando foi detido

Cinco homens e uma mulher foram atingidos a tiro este sábado de manhã no centro da cidade de Macerata, em Itália, por disparos de um carro em movimento. A polícia já deteve um homem italiano de 28 anos, suspeito de ser o atirador, no que a polícia considera ser um ataque por motivos raciais, já que todas as vitimas são negras.

"Ele andava no carro e quando via uma pessoa negra disparava", disse Marcello Mancini, um habitante de Macerata, à Reuters.

A ANSA relata que o suspeito, Luca Traini, saiu do carro com a bandeira tricolor sobre os ombros e que quando a polícia chegou admitiu ter sido o autor dos disparos, sem apresentar resistência. Antes de ser detido fez a saudação fascista. Traini terá sido candidato pela Liga Norte, um partido anti-imigração, às eleições locais do ano passado.

Os tiros foram disparados a partir de um Alfa Romeo 147 no centro de Macerata, gerando pânico na rua. Segundo o presidente da Câmara, todos os feridos são estrangeiros e negros e um está em estado grave. Romano Carancini chegou a pedir à população para se manter em casa, mas já levantou o pedido.

Macerata, uma cidade com cerca de 43 mil habitantes, foi palco esta semana do assassinato de uma jovem italiana, Pamela Mastropietro, cujos restos desmembrados foram encontrados dentro de duas malas. O principal suspeito é um cidadão nigeriano e nas últimas horas a página de Facebook da mãe da vítima encheu-se de comentários racistas, segundo a ANSA.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG