Theresa May quer empresas britânicas no seio do mercado único europeu

Primeira-ministra quer ainda que as empresas europeias tenham o mesmo tipo de acesso ao mercado britânico. Bruxelas tem-se oposto a estas ideias

A primeira-ministra britânica, Theresa May, explicou hoje que quer garantir às empresas "uma liberdade máxima para comercializar e funcionar no seio do mercado único" europeu.

Theresa May, que intervinha no encerramento do partido conservador em Birmingham, também afirmou que quer que as empresas europeias tenham o mesmo tipo de acesso ao mercado britânico.

Contudo, May precisou imediatamente depois destas declarações que o Reino Unido não vai deixar a União Europeia (UE) para "abandonar de novo o controlo da imigração".

Estes dois desejos são à partida contraditórias para Bruxelas, que exclui manter o Reino Unido no seio do mercado único se puser um termo à livre circulação de trabalhadores com a UE.

No domingo, May declarou aos congressistas em Birmingham (centro de Inglaterra) que queria ativar o artigo 50 do Tratado de Lisboa antes do final do mês de março, abrindo a via para a saída do Reino Unido no início de 2019.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG