Texas executa preso que matou duas das companheiras

Esta foi a segunda execução este ano nos Estados Unidos da América, ambas no Texas.

O estado americano do Texas executou na terça-feira um homem condenado à morte pelo homicídio da ex-companheira quando gozava de liberdade condicional após ter matado 13 anos antes a mulher.

William Rayford, de 64 anos, foi declarado morto às 20:48 locais de terça-feira, após lhe ter sido dada uma injeção letal na prisão de Huntsville, segundo informação do Departamento de Justiça Criminal do Texas.

As últimas palavras do preso foram dirigidas a uma das vítimas, pedindo que encontrasse no coração lugar para o perdoar.

Rayford foi condenado em 1986 a 23 anos de prisão por matar a mulher que se tinha dele separado.

Em 1994, o arguido foi colocado em liberdade condicional, após cumprir oito anos, devido à sobrelotação da prisão.

Dois anos mais tarde iniciou um relacionamento com aquela que seria a sua segunda vítima.

A mulher terminou a relação entre ambos em 1999, tendo pedido ajuda a um familiar de Rayford para o tirar de sua casa.

Em novembro de 1999, William Rayford regressou, acedendo à casa com uma cópia da chave, onde esfaqueou o filho da vítima, de 11 anos, e, na rua, a ex-companheira, que tentava fugir para procurar ajuda.

O arguido abandonou o corpo da vítima, tendo a polícia, alertada pelo filho da vítima e vizinhos, acabado por o deter nas imediações.

Os magistrados do Supremo Tribunal dos Estados Unidos rejeitaram, minutos antes da execução, vários recursos dos advogados do preso, que alegavam, entre outras situações, que a condenação tinha fundamentos racistas.

Esta foi a segunda execução este ano nos Estados Unidos da América, ambas no Texas.

Desde que o Supremo Tribunal restituiu a pena de morte, em 1976, 1.467 presos foram executados no país, cerca de um terço no Texas.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG