Temer elogia capacidade da mulher "no supermercado" e no lar

Presidente elogiou capacidade da mulher de encontrar "desajustes de preço no supermercado" e de criar os filhos

O presidente do Brasil Michel Temer está a ser duramente criticado pelo discurso que fez esta quarta-feira, no Dia Internacional da Mulher. No Palácio do Planalto, Temer elogiou a capacidade das mulheres de detetarem "os desajustes de preço no supermercado", a boa gestão do orçamento doméstico que as mulheres fazem.

Temer disse ainda que, com o fim da recessão, "além de cuidar dos afazeres domésticos", a mulher "terá um caminho cada vez mais longo para o emprego" no Brasil.

"Na economia, também a mulher tem grande participação. Ninguém é mais capaz de indicar os desajustes de preço no supermercado do que a mulher", disse o presidente num evento em homenagem às mulheres em que Marcela Temer, a primeira-dama, falou durante menos de dois minutos.

"Ninguém é capaz de melhor detetar as flutuações económicas do que a mulher", continuou Temer, referindo-se à gestão do "orçamento doméstico", segundo o G1.

O presidente referiu ainda a importância da mulher na criação dos filhos, dando o exemplo da mulher Marcela Temer. "Tenho absoluta convicção, até por formação familiar e por estar ao lado da Marcela, do quanto a mulher faz pela casa, pelo lar. Do que faz pelos filhos", disse Temer

"E, se a sociedade de alguma maneira vai bem e os filhos crescem, é porque tiveram uma educação adequada em suas casas e, seguramente, isso quem faz não é o homem, é a mulher", continuou Temer.

O presidente criticou o facto de a mulher ser considerada "uma figura de segundo grau" no Brasil e em muitas partes do mundo, "quando na verdade ela ocupa o primeiro grau em todas as sociedades".

Temer, que sucedeu a primeira mulher presidente do Brasil, Dilma Rousseff, tem sido criticado por ter apenas duas mulheres no seu governo de 28 ministérios, segundo o El País Brasil.

Nas redes sociais, várias pessoas disseram que o discurso do Temer estava desatualizado e que não acompanhava as mudanças sociais dos últimos anos. O discurso "Teria sido memorável, se estivéssemos no século 19", escreveu um utilizador no Twitter.

A secretária nacional de Políticas para as Mulheres defendeu Michel Temer. Fátima Pelaes disse, segundo o G1, que não considerou o discurso machista e que o presidente apenas descreveu a realidade doméstica e profissional da mulher.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG