Temer deixa escapar audio previsto para depois da destituição de Dilma

Vice-presidente enviou por engano um discurso aos deputados do seu PMDB como se a Câmara já tivesse votado impeachment da presidente.

O vice-presidente da República Michel Temer enviou por engano um discurso aos parlamentares do seu partido, o PMDB, como se a Câmara dos Deputados já tivesse votado a favor do impeachment de Dilma Rousseff, o que está previsto acontecer apenas durante o fim de semana. No audio, Temer diz que está a fazer "um pronunciamento à nação", falando já, praticamente, como presidente.

Os assessores do vice de Dilma confirmaram que o audio é verdadeiro mas que foi enviado por acidente. "Foi um exercício que o vice-presidente estava a fazer no seu telemóvel e que foi acidentalmente enviado para a bancada", afirmaram ao jornal Folha de S. Paulo.

"Muitos me procuraram para que eu desse pelo menos uma palavra preliminar à nação brasileira, o que faço com muita cautela, com muita modéstia, com muita moderação mas também em face da minha condição de vice-presidente e também como substituto constitucional da senhora presidente da república", diz Temer, que ainda prepara os brasileiros para sacrifícios na economia ao longo do discurso de 15 minutos.

Na realidade, hoje à noite a Comissão de Impeachment ainda vai votar o relatório que recomenda a destituição de Dilma. Caso a maioria dos 65 deputados da comissão vote a favor, só aí, o impeachment desce ao plenário da Câmara onde 342 parlamentares - dois terços - terá de optar pela queda da presidente para o assunto ir depois para o Senado.

São Paulo

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG